Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Abordagem sociocultural nos programas de saúde sexual e reprodutiva

O Fundo das Nações Unidas para a Educação Ciência e Cultura (UNESCO) e o Fundo das Nações Unidas a População (FNUAP), em parceria com o Governo moçambicano, estão a trabalhar na promoção da integração da cultura nos planos distritais de desenvolvimento e nos programas de Saúde Sexual e Reprodutiva (SSR).

Com base nesta iniciativa, que surge no âmbito do Programa Conjunto para o Fortalecimento das Indústrias Culturais e Criativas e de Políticas Inclusivas em Moçambique, a UNESCO realizou, de Quarta a – Sexta-feira, o terceiro e último exercício-piloto na Ilha de Moçambique.

Um comunicado da UNESCO, recebido pela AIM, refere que no início deste ano, este organismo das Nações Unidas realizou um trabalho de campo nos distritos de Ribáuè, Mossuril, Nhamatanda e Zavala, que resultou num estudo sobre as Práticas Culturais e Comunitárias na Promoção da Saúde Sexual e Reprodutiva.

“Com base nos resultados do estudo, o Programa Conjunto lançou exercícios piloto sobre a SSR em Mossuril e Zavala, em 2010”, explica o documento.

A UNESCO revela que algumas das principais questões identificadas pelas comunidades abrangidas no estudo destaca-se a falta de conhecimento sobre a origem do HIV/SIDA, sobre a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, planeamento familiar, impacto de múltiplos parceiros e a poligamia.

A pertinência desta iniciativa, segundo a UNESCO, surge pelo facto de as abordagens culturalmente relevantes que visam encontrar soluções sustentáveis para esses problemas estarem a ser desenvolvidos com os membros-chave da comunidade e líderes tradicionais, em colaboração com profissionais da educação e da saúde a nível distrital.

O planeamento das estratégias em colaboração com a liderança comunitária e tradicional é fundamental para o sucesso antecipado dessa iniciativa, porque vai garantir que os planos e as mensagens sejam culturalmente relevantes, e que os membros da comunidade estejam envolvidos como defensores da mudança.

“É altamente desejável que esta abordagem inovadora sócio-cultural tenha um impacto positivo em todas as futuras intervenções na área da SSR em Moçambique, incluindo a prevenção, mitigação e cuidado com o HIV/SIDA”, destaca a UNESCO.

O Programa Conjunto, uma colaboração entre as Nações Unidas e o Governo de Moçambique, é apoiado pelo Fundo dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (F-ODM) e conta com financiamento do Governo Espanhol.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!