Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

A Semana

Doze detidos morrem na prisão em Mogincual

Doze pessoas morreram, no início da semana, numa das celas do Comando da Polícia da República de Moçambique (PRM) no distrito de Mogincual, em Nampula. Dados preliminares apontam como prováveis causas a asfixia resultante do intenso calor que se fez sentir naquela noite, aliada à superlotação da unidade, dado que na véspera foram detidos 29 indivíduos indiciados de desinformação sobre a cólera.

Espera-se que venham a público os resultados das autópsias que serão levadas a cabo no Hospital Central de Nampula. Os corpos dos 12 mortos foram transportados na terça-feira para aquela unidade sanitária.

Fonte do Hospital Central de Nampula confirmou a entrada dos corpos na sua morgue, mas disse que se aguardava pelos procedimentos habituais das entidades policiais para se iniciarem as autópsias. A mesma fonte, preliminarmente, descarta a possibilidade de as mortes terem sido originadas por intoxicação alimentar, como se chegou a aventar. Referiu que se essa tivesse sido a causa, as vítimas teriam sinais de terem vomitado ou sido acometidas de diarreia antes da morte, o que não aconteceu.

Combustíveis voltam a baixar de preço

Os preços dos combustíveis líquidos voltaram a conhecer, com efeitos a partir de quarta-feira, uma redução nos postos de venda e de abastecimento, decisão justificada pela baixa registada nos custos de importação desde a última revisão efectuada a 22 de Janeiro último. Assim, o custo do gasóleo baixou em 20 porcento, passando dos anteriores 28,06 para 22,45 meticais o litro; a gasolina, que viu o preço reduzir em cerca de cinco porcento, é adquirido agora a 23,10 meticais, contra os anteriores 24,32 o litro, enquanto que o petróleo de iluminação, cujo valor era de 19,47 meticais o litro, passa a 15,58 meticais, representando uma redução de 20 por cento.

Aumenta produção de açúcar

A indústria açucareira moçambicana deverá produzir, neste ano, 419.208 toneladas de açúcar, representando um aumento de 68 porcento face ao ano anterior, em que as quatro fábricas que operam no país produziram 250.191 toneladas.

Segundo o Centro de Promoção da Agricultura (CEPAGRI), este aumento irá resultar do incremento, em 37 por cento, da área de produção de cana sacarina e do melhoramento do rendimento agrícola previsto para 2009, que poderá aumentar em cerca de 21 por cento.

Ainda de acordo com o CEPAGRI, em 2009 todas as açucareiras, à excepção da de Marromeu, na província de Sofala, prevêem aumentar as suas áreas de produção, no âmbito do Plano de Acção do Sector Açucareiro.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!