Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

A caminho dos X jogos africanos: Voluntários precisam-se

O trânsito de automóveis em Maputo está cada vez mais caótico. Entrar e sair da cidade nas horas de ponta é cada vez mais demorado e exige muita paciência dos automobilistas. Quando os atletas e as delegações que os acompanham chegarem a Maputo passarão a existir pelo menos mais sete mil pessoas nas estradas, isto sem contar com os turistas que poderão nessa altura também estar na cidade. As autoridades de viação no país não têm soluções para o problema do trânsito na capital do país, a curto prazo, e a previsão é que a paciência dos automobilistas tenha que aumentar durante esses dias em que Maputo será a capital do desporto de África.

O plano da organização dos Jogos é criar rotas específicas para que os veículos que transportem os atletas e delegações, apoiados pela Polícia de Trânsito, tenham prioridade, de forma a garantir que não ocorram atrasos. O facto, porém, é que da Vila Olímpica, onde a maioria dos participantes dos Jogos irá ficar alojada, para a cidade de Maputo existem apenas dois acessos – a avenida de Moçambique e a avenida Maria de Lurdes Mutola (passando pela avenida Julius Nyerere), que têm todos os dias um intenso tráfego de automóveis. Irá o trânsito ficar mais caótico para os citadinos da Pérola do Índico? É provável que sim.

O Comité Organizador do Jogos Africanos (COJA) está a contar com a ajuda dos automobilistas de Maputo. “Estamos a apelar para que eles (os automobilistas) sejam solidários aos Jogos, sejam simpáticos e dêem prioridade aos veículos com os atletas” disse o director adjunto do COJA, Penalva César, que acrescenta que “estamos a olhar para alternativas, via Dona Alice, Grande Maputo”. O COJA, embora essa afirme que essa tarefa não faz parte das suas atribuições, diz estar a trabalhar com os transportes públicos urbanos (TPM) para que estabeleçam um sistema de transporte que facilite a locomoção dos espectadores de/ e para os recintos onde irão decorrer os Jogos e evitar que todos levem as suas viaturas pois dessa forma o trânsito ficará mais complicado.

Penalva César afirma que o está previsto é que “se organizem locais de recolha, para quem tenha bilhete*, e as pessoas deixam a sua viatura num local que funcione como parque de estacionamento, longe dos recintos dos Jogos.” Como noutros quesitos logísticos e da organização dos Jogos, a questão dos transportes ainda não está definida, até porque o COJA abriu um concurso público para encontrar um fornecedor de serviços de transporte para os atletas e delegações durante os Jogos e os resultados ainda não são conhecidos.

O COJA também não avançou o número de viaturas (autocarros, carrinhas ou ligeiras) que vai usar durante os Jogos mas, olhando para o parque automóvel de Maputo, e tendo em conta a prática noutros grandes eventos na capital moçambicana, o previsível é que a frota interna de autocarros existentes não seja suficiente para as necessidades de transporte. Mais autocarros (e outros veículos ligeiros) serão adicionados ao já caótico trânsito da cidade das acácias.

Voluntários

Assegurar a realização de um evento com a envergadura dos Jogos Africanos vai implicar a mobilização de todos os sectores de actividade incluindo agentes das Forças de Defesa e Segurança do país, assim como o corpo de bombeiros e até trabalhadores de saúde.

{youtube}U1C51q3ixw0{/youtube}

Pede-se uma mobilização geral de todos estes sectores tendo em conta que a capital do país não vai parar a sua vida normal e os poucos bombeiros, médicos, enfermeiros, agentes da lei e ordem que existem terão de se desdobrar entre os seus habituais postos de trabalho e um trabalho voluntário extra. No total, o COJA espera mobilizar cerca de sete mil voluntários que incluem também guias turísticos, tradutores, entre outros profissionais, para ajudarem os visitantes que Maputo vai acolher em Setembro próximo.

{youtube}W2u227Iu1po{/youtube}

* Bilhetes – Os bilhetes para os Jogos Africanos ainda não existem. O COJA alega que, como os estes devem indicar os lugares que cada adepto irá ocupar, está a aguardar a conclusão das obras nos locais onde os jogos vão decorrer para, então, iniciar a preparação e posterior venda dos bilhetes. O seu preço também ainda não foi definido.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!