Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

130 mancebos vão incorporar as fileiras das FADM

A cidade de Nampula acolheu, na tarde desta quarta-feira(4), a cerimónia de despedida de 130 mancebos oriundos de todos os 21 distritos da província, num acto presenciado pelo Governador de Nampula, pelo Presidente do Concelho Municipal e dos membros do governo provincial, além da presença de amigos e familiares.

Os jovens que se voluntariaram em responder com prontidão ao chamamento da pátria no cumprimento da nobre missão de defesa e consolidação da paz e da unidade nacional, garantiram que irão empreender aos seus esforços no seu alcance no sentido de merecer a confiança do povo moçambicano.

Trata-se de recrutas do segundo turno de incorporação deste ano de 2012. Intervindo na ocasião, o delegado do Centro Provincial de Recrutamento e Mobilização de Nampula, Carlos Lamina, disse que as garantias dos jovens volutários que serão incorporados nas fileiras das Forças Armadas de Defesa de Moçambique, constituem motivos suficientes para que os filhos da província de Nampula partam com coragem, espírito de entrega, voluntariedade na defesa da pátria nacional, o que significa exemplo de disciplina, ética e lealdade para todos os nampulenses. Lamina deu a conhecer que os 130 jovens da província de Nampula serão integrados nos centros de instrução básica de Montepuez em Cabo Delgado e Manhiça na província de Maputo.

Aquele responsável afirmou que, anualmente, tem se registado um crescimento considerável do número de jovens que se voluntariam em ingressar nas fileiras das FADM, uma prova de que no seio dos jovens desta região do país são detentores de maior sentido patriótico. Entretanto, encorajou aos mancebos no sentido de ficarem tranquilos e confiantes no sucesso das actividades de treino que vão desenvolver nos referidos centros de instruçao básica, porque o povo de Nampula conta com eles de modo a estar unidos na luta contra a pobreza absoluta, fenómeno que assola a sociedade moçambicana, incluindo as epidemias e o HIV/SIDA que contribuem para o retrocesso do desenvolvimento da economia moçambicana.

Por seu turno, o governador de Nampula, Felismino Tocoli, salientou o facto de os jovens serem os principais suportes do país, como sendo o grande motivo encorajador para o voluntarismos dos mancebos. Tocoli referiu que o bom comportamento dos jovens que saem da província de Nampula vai dignificar o bom nome desta capital da região norte do país, por isso apelou a dedicação nas tarefas e nas missões militares a serem incumbidos. Acrescentou que não basta as pessoas andarem a falar de que estamos livres da opressão do colonialismo português, mas necessitamos consolidar as bases que garantem a paz, liberdade, o bem-estar do povo. E para a materialização destes anseios espera-se com muita expectativa a sua contribuição através das experiências buscadas na formação social e militar.

Tentamos evitar o desemprego

Alguns jovens entrevistados pela reportagem do @Verdade afirmaram que decidiram voluntariar-se para os treinos militares como uma alternativa de vida na tentativa de evitar o desemprego que preocupa bastante aquela camada social. Janete Aguiar revelou que depois de concluir a sua décima segunda classe em 2006, tentou por muitas vezes concorrer para o preenchimento de vagas em instituiçoes públicas e privadas, facto que sempre redundou em fracasso porque era exigida como condição principal o pagamento de valores monetários, cuja quantidade não especificou.

“Se pretendo ter um emprego e aparece alguem exigindo dinheiro, onde vamos conseguir, visto que as nossas famílias vivem na extrema pobreza”, lamentou acrescentando que outras instituições pedem pelo menos dois anos de experiência.

Francisco explicou foi inscrever-se para o Serviço Militar Obrigatório na tentativa de esquecer o seu sofrimento relacionado com a falta de emprego, pois conta que desde o ano de 2008 que concluiu o ensino secundário-geral do Sistema Nacional de Educação, anda a distribuir documentos em diversas empresas privadas e instituições públicas, mas admira que na publicação das listas o seu nome nunca constou.

De referir que após o regresso dos mancebos nos treinos militares, os membros das FADM tem beneficiado de um subsidio mensal.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!