Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

10,5% das viaturas inspeccionadas com problemas mecânicos

Apenas cerca de 10,5% dos 14,8 mil veículos ligeiros e pesados submetidos à inspecção obrigatória, em curso em Moçambique, foram dados como reprovados devido a deficiências mecânicas encontradas, segundo fonte competente do Instituto Nacional de Viação (INAV).

Algumas das viaturas reprovadas pertencem ao Estado, de acordo com Jorge Muiambo, director-geral adjunto do INAV, indicando, entretanto, que a partir de Agosto de 2010 deverá arrancar o processo de apreensão e parqueamento de veículos não inspeccionados, operação que iniciou em Fevereiro último nas cidades de Maputo, Matola e Tete. Falando esta quinta-feira ao Correio da manhã, Muiambo considerou “satisfatório” o número de veículos que foram já inspeccionados, sobretudo o facto de 13 383 viaturas terem sido aprovadas por estarem em boas condições mecânicas para circulação.

“O facto poderá concorrer para a redução de acidentes de viação que têm ceifado vidas humanas devido a problemas mecânicos”, realçou, a dado passo, Muiambo. Revelou, entretanto, que, na primeira semana de Julho próximo, três novos centros de inspecção obrigatória de viaturas deverão entrar em actividade nas cidades de Xai- Xai, Beira e Lichinga, nas províncias de Gaza, Sofala e Niassa, respectivamente, enquanto nas restantes capitais provinciais decorrem obras de edificação daquele tipo de instituições.

Inspecção móvel rural Os novos centros vão se juntar aos das cidades de Maputo, Matola e Tete, enquanto se preparam condições necessárias para inspecção móvel de viaturas a operar nos distritos e zonas rurais. O director-geral adjunto do INAV frisou na entrevista ao jornal que “não ter sido feita a inspecção numa determinada viatura, esta, a partir de Agosto próximo, será considerada como estando a circular de forma ilegal, sujeitando-se, assim, ao seu parqueamento obrigatório até ser abrangida pelo processo”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!