Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoquices da semana: Novos distritos para Gaza; Delegação moçambicana aos Jogos Olímpicos; Casamentos prematuros

Xiconhoquices da semana: Investimentos do Banco Mundial em combustíveis fósseis; Endividamento das Empresas Públicas; Crise de gás de cozinha

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Novos distritos para Gaza

Numa altura em que o futuro se mostra incerto para os moçambicanos, devido à irresponsabilidade de meia dúzia de indivíduos, o Governo da Frelimo, no cúmulo da sua insensatez, decidiu tornar dispendiosa o Aparelho do Estado, através da criação de novos distritos da província de Gaza. Aprovada pela Assembleia da República, sobretudo os deputados da bancada parlamentar da Frelimo, o Executivo de Nyusi sustenta a proposta da criação dos três que há necessidade de ajustar a organização territorial à actual dinâmica de desenvolvimento económico, social, político e cultural. Na verdade, não passa de uma fundamentação (leia-se desculpa) esfarrapada, sem nenhuma réstia de lucidez e tampouco sensatez. Esta é apenas mais uma manobra do Governo da Frelimo para acomodar interesses pessoais, nomeadamente empregar os seus parentes e amigos. A criação desses distritos não trará nenhum benefício aos moçambicanos, senão aumentar aquilo que são as despesas do Estado.

Delegação moçambicana aos Jogos Olímpicos

O povo moçambicano precisa de ser estudado, sobretudo a corja de indivíduos que dirige o destino deste país. É com cada estupidez que nos é brindado todos os santos dias. A mais recente estupidez é a presença de Moçambique nos Jogos Olímpicos a serem realizados no Rio de Janeiro, no Brasil, no próximo mês de Agosto. Aos Jogos, a delegação moçambicana parte no dia 24 deste mês e será composta por 15 elementos, entre os quais seis atletas, de modalidades de atletismo, canoagem, judo e natação. Os outros 9 pertencem ao pessoal de apoio. Para isso, o Estado moçambicano terá de gastar 11 milhões de meticais. Existe maior estupidez do que está? Para quê os atletas precisam de tantos acompanhantes? Ao menos que fossem apenas atletas. O Estado não pode financiar o passeio turístico de 9 indivíduos dispensáveis nas provas em que os atletas irão participar. Quanta Xiconhoquice!

Casamentos prematuros

O Estado moçambicano continua a fazer vista grossa perante uma questão que tem vindo a ganhar proporções preocupantes nos últimos tempos: o casamento prematuro. A cada dia que passa, os casos de casamentos prematuros tendem a aumentar de forma significativa, porém, o Estado preferi fingir que o problema não lhe diz respeito. Quase todos os dias há relatos de crianças e adolescentes que foram obrigadas a casar-se muito cedo. A título de exemplo, em Ribáuè, na província de Nampula, Rosinha, com apenas 11 anos de idade, foi forçada a casar com um homem que tinha o dobro da sua idade. Este não é um caso isolado, centenas de crianças ou adolescentes de sexo feminino têm sido forçadas a casar-se, sobretudo na região norte do país, assim que a rapariga tem o seu primeiro ciclo menstrual. O problema parece não preocupar as autoridades competentes, talvez por não se tratarem das suas filhas ou sobrinhas.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!