Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoquices da semana: Defesa de Joaquim Chissano e Luisa Diogo às dívidas de Guebuza; Assassinato de cidadão por polícia; Acidentes de viação

Xiconhoquices da semana: Novo Regulamento de Transporte em Veículos Automóveis; Passaporte falso de Nini sem falsificadores; Campanha eleitoral da Frelimo

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Defesa de Joaquim Chissano e Luisa Diogo às dívidas de Guebuza

O antigo Presidente da República e a antiga Primeira-Ministra, Joaquim Chissano e Luisa Diogo, respectivamente, prosseguem nas suas campanhas insanas de defender o indefensível. Ou seja, aquelas duas figuras, ignorando todos os problemas que as dívidas ilegalmente contraídas pelo Governo de Guebuza tem vindo a provocar nas mesas dos moçambicanos, andam metidos a defensores. Quando se esperava um posicionamento ponderado, Joaquim Chissano veio ao público dizer que houve deslize e não se devem tirar conclusões precipitadas sobre as dívidas avalizadas ilegalmente pelo Estado moçambicano. Por sua vez, Luisa Diogo defende excepcionalidade para Moçambique, mesmo sabendo das consequências que a situação em si representa para o país. É uma vergonha ouvir figuras dessas a defenderem uma burla qualificada.

Assassinato de cidadão por polícia

Já não se pode confiar nos agentes da Polícia da República de Moçambique (PRM), pois os mesmos que deveriam garantir a ordem e segurança públicas são os principais promotores da criminalidade no país. Em apenas uma semana, a Polícia matou três cidadãos. A título de exemplo, depois do assassinato de um cidadão identificado pelo nome de Tchitcho, de 22 anos de idade, no bairro de Namicopo, cidade de Nampula, a Polícia voltou a fazer mais uma vítima no bairro de Marrere. Em menos de 48 horas, a vítima foi um cidadão cujo nome e idade não apurámos, que supostamente pertencia a uma quadrilha de ladrões surpreendida a assaltar uma casa e a molestar a proprietária da mesma naquela zona. Outro caso deu-se na cidade portuária de Nacala, onde um cidadão que respondia pelo nome de Zico Mendes Engenheiro, aparentemente de 20 anos de idade, residente do bairro Mocone, foi alvejado mortalmente por um agente da PRM.

Acidentes de viação

É bastante preocupante e assustador o número de acidentes de viação que se regista um pouco por todo o país. Chega a ser monótono falar de sangue e mortes todas as semanas por causa da negligência de certos condutores moçambicanos. Na verdade, são dezenas de vidas que são dizimadas devido à irresponsabilidade dos automobilistas e também da Polícia de Trânsito que anda preocupada em pedir “refresco”, ao invés de educar e disciplinar os condutores. As estradas moçambicanas vão se tornando cada vez mais mortíferas. Por exemplo, nesta semana, seis cidadãos perderam a vida e outras 15 ficaram feridas, na cidade da Matola, província de Maputo, em consequência de um sinistro rodoviário envolvendo uma viatura particular e um transporte semi-colectivo de passageiros. O mais preocupante é que o número de acidentes de viação tende a crescer a cada mês.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!