Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoquices da semana: Corrupção aumentou; Nomeação de Lagos Lidimo; Empréstimo não concessional

Xiconhoquices da semana: Investimentos do Banco Mundial em combustíveis fósseis; Endividamento das Empresas Públicas; Crise de gás de cozinha

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Corrupção aumentou

Quando o homem que se auto-proclama autor do “primeiro tiro” que deu início à luta armada de libertação nacional afirmou peremptoriamente que os roubos, o saque aos cofres do Estado vão continuar, porque eles não são santos, certamente o estimado leitor não imaginava que a situação era deveras séria. Quando se esperava que a corrupção abrandasse, eis que a realidade tem vindo a mostrar outra face, com informações dando conta de que a corrupção em Moçambique aumentou. Além da Transparência Internacional ter divulgado dados mostrando que a corrupção tem vindo a ganhar terreno no país, o Gabinete Central de Combate a Corrupção veio a público reforçar que se está longe de reverter a situação que já se tornou uma prática reiterada no aparelho do Estado. Apenas no ano passado (2016), o gabinete instaurou 1.235 processos crime que resultaram em 493 acusados dos quais foram detidos 160 cidadãos moçambicanos, envolvidos em actos de corrupção. É caso para dizer que “estamos entregues aos abutres”!

Nomeação de Lagos Lidimo

Já não surpreende a ninguém as nomeações feita por Sua Excelência Presidente da República, Filipe Nyusi. Aliás, desde que Nyusi assumiu o poder tem vindo a fazer nomeações que deixam muito a desejar. Dito sem metáfora, o Chefe de Estado tem vindo surpreender-nos pela negativa. Desta vez, não fungindo a regra, o PR cometeu mais uma Xiconhoquice ao nomear Lagos Henriques Lidimo, empresário seu conterrâneo e general na reserva com experiência de combater a Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), para o cargo de director-geral do Serviço de Informação e Segurança do Estado (SISE), substituindo Gregório Leão José um dos mentores dos empréstimos secretos e ilegais da Proindicus, EMATUM e MAM. O PR ignorou que Lidimo está ligado ao processo de violação dos Direitos Humanos em Moçambique, para além de ser conhecido por todos os cidadãos como um indivíduo sem um mínimo de respeito pela vida dos outros.

Empréstimo não concessional

Não há dúvidas de que o grande empecilho ao desenvolvimento de Moçambique seja o partido Frelimo. Desde que a Frelimo está no poder, os moçambicanos têm vindo a experimentar momentos dramáticos de sobrevivência. Todos os dias, o povo vive na incerteza do que há-de comer no dia seguinte. Tudo por culpa dos Governos da Frelimo que têm violado a lei, matando milhares de moçambicanos a fome desde a Independência Nacional. A título de exemplo, em 2015, o Executivo de Filipe Nyusi contraiu empréstimo não concessional contrariando a Lei Orçamental. O crédito em apreço, no valor de 200 milhões de dólares norte-americanos, foi contraído junto do Banco Islâmico de Desenvolvimento para financiar a Linha de Transmissão de energia eléctrica entre Chimuara e Nacala. Enfim, os indivíduos que deviam ser exemplo no respeito às leis são os principais estupradores das mesmas.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!