Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoquices da semana: Condenação de Jeremias Tchamo; Calote a prestação dos Títulos da Dívida de Moçambique; Saneamento e qualidade das infra-estruturas

Xiconhoquices da semana: Novo Regulamento de Transporte em Veículos Automóveis; Passaporte falso de Nini sem falsificadores; Campanha eleitoral da Frelimo

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Condenação de Jeremias Tchamo

Não há sombras de dúvidas que, neste rochedo à beira do Índico que alguns ousam chamar de “Pátria Amada”, o crime compensa – que o diga o senhor Jeremias Tchamo, antigo administrador financeiro da empresa pública Linhas Aéreas de Moçambique (LAM). O cidadão, acusado de abuso de poder, foi condenado a uma pena suspensa de dois anos. Tchamo, usando a sua influência como administrador da LAM, facilitou 25 contratos celebrados entre a Linhas Aéreas de Moçambique e uma empresa de construção civil pertencente ao seu irmão, num valor de 5,3 milhões de meticais para a prestação de serviços de reabilitação e construção de várias infra-estruturas. Porém, o mais intrigante nesta história é o facto de o Tribunal Judicial KaMpfumu na cidade de Maputo não ter condenado este indivíduo a pelo menos 12 anos de prisão.

Calote a prestação dos Títulos da Dívida de Moçambique

Nos últimos tempos, o Estado moçambicano tem se mostrado um verdadeiro caloteiro a nível mundial. Aliás, não se podia esperar um comportamento diferente quando se tem no poder um Governo constituído por abutres que há anos medram à custa do sofrimento e sangue do povo moçambicano. Inicialmente, o Governo da Frelimo transformou a dívida da Empresa Moçambicana de Atum (EMATUM) em dívida pública, forçando, assim, 25 milhões de moçambicanos a pagar por algo que não sabem, e, como consequência disso, hoje o país atravessa uma das suas piores crises da sua história. Como se isso não bastasse, numa atitude típica de um caloteiro sem escrúpulos, o Executivo de Filipe Nyusi anunciou que não vai honrar o pagamento que havia renegociado há cerca de um ano com credores que detém Títulos do empréstimo da EMATUM. Quanta Xiconhoquice!

Saneamento e qualidade das infra-estruturas

Definitivamente, somos um país sem agenda e, muito menos, vontade política de mudar a situação. Volvidos aproximadamente 42 anos de Independência, Moçambique continua a debater-se com problemas básicos de saneamento. Aliás, todoas as vezes que chove coloca-se a nu toda a falta de seriedade e incompetência gritante do Governo da Frelimo ao longo dos anos de governação. A título de exemplo, as chuvas que caíram durante a semana passada e esta, revelou a má qualidade das infra-estruturas erguidas pós-Independência, tais como estradas, pontes, escolas e outros edifícios públicos. E o pior de tudo é que, nem as autoridades e tampouco a população, se preparam para esta situação que já é cíclica.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!