Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoquices da semana: Avaliação meio-termo do mandato de Nyusi; Polícia; Roubos em hospitais

Xiconhoquices da semana: Novo Regulamento de Transporte em Veículos Automóveis; Passaporte falso de Nini sem falsificadores; Campanha eleitoral da Frelimo

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Avaliação meio-termo do mandato de Nyusi

Num exercício inútil, o Presideny te da República, Filipe Nyusi, veio ao público fazer uma avaliação de meio-termo do seu mandato. A intenção foi boa, mas o Chefe de Estado pecou por limitar-se a ler um documento vazio de realizações. Na mensagem de balanço pela passagem, no passado dia 15 de Julho, dos dois anos e meio desde que tomou posse como o quarto Presidente da República de Moçambique, Nyusi disse que na primeira metade do meu mandato, dedicou-se a trazer Moçambique de volta aos carris do progresso, como se alguma vez o país estivesse nalguns carris. O Presidente da República, na verdade, esquece-se de explicar aos moçambicanos as razões que o levaram assumir a dívidas ilegais da Proindicus, MAM e EMATUM. Em suma, Filipe Nyusi ignorou os verdadeiros problemas que têm apoquentado os moçambicanos.

Polícia

Há muito que a Polícia moçambicana deixou de fazer o seu dever que é o de servir e proteger os moçambicanos. A título ilustrativo, um cidadão foi baleado mortalmente pela Polícia da República de Moçambique (PRM), na vila de Moatize, província de Tete, quando um grupo de populares amotinou-se para contestar o encerramento unilateral dos portões que dão acesso à concessão da empresa mineira Vale Moçambique. Trata-se de portões de uma outra mina de carvão pertencente àquela companhia, cuja exploração ainda não iniciou. Esta é apenas mais uma prova de que as autoridades policiais estão em defesa dos interesses das multinacionais, em detrimento dos da população. O mais revoltante é que a Polícia continua a usar balas reais em situações dessas. Outra vergonha é o vídeo em que aparecem os agentes da Unidade de Intervenção violentando os garimpeiros numa mina de rubi em Cabo Delgado.

Roubos em hospitais

O número de roubos em hospitais p espalhados pelo país tendem a crescente de forma preocupante. Este ano, foram registado pelo menos cinco situações de desvio de medicamentos e equipamentos hospitalares. O caso mais recente deu-se na cidade de Quelimane, província da Zambézia, onde em menos de um mês foram roubados dois equipamentos de alta tecnologia, nomeadamente o dínamo do motor da máquina que produz oxigénio e um aparelho de radiologia. Este último acabou por ser recuperado, quando um cidadão que se fazia passar de técnico da empresa que faz a manutenção, tentava transporta- lo sob alegação de que tinha sido enviado para levar o aparelho para a manutenção na África do Sul. Pelas crescentes situações de roubos, tudo indica que os gatunos se esquecem que vão ficar doentes e precisaram daqueles aparelhos.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!