Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

‘@Verdade Editorial: Um bom exemplo de péssimo serviço público

Cada vez que se sai dos principais centros urbanos fica mais evidente a qualidade dos serviços prestados pelas empesas públicas, sobretudo aqueles que têm o monopólio do mercado. É o caso da empresa pública Electricidade de Moçambique (EDM), cujos serviços prestados à população moçambicana deixam muito a desejar. Este facto não é novo, perdura décadas.

A vila municipal de Chiúre, na província de Cabo Delgado, é exemplo disso. Esta pacata vila, atravessada pela Estrada Nacional número 1 (N1), tem sido constantemente privada de energia eléctrica por longos períodos, sem falar da péssima qualidade da corrente. Aliás, a cada meia hora, os munícipes dessa vila lhes são privados o acesso a corrente eléctrica.

Na última quinta-feira (31), grande parte da vila municipal ficou sem corrente desde o período da tarde, tendo apenas sido restabelecida no dia seguinte por volta das 8 horas. Estas situações têm sido frequentes e, o mais caricato, é a empresa não se tem pronunciado a respeito disso, deixando centenas de pessoas preocupadas.

Os sistemáticos apagões têm estado a criar prejuízos económcos as famílias e também pequenos comerciantes que dependem da corrente eléctrica para colocarem os seus negócios a andarem. O mais revoltante é que a EDM está preocupada em atingir a agenda e metas estabelecidas pelas Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável no mundo, ao invés de se preocupar cem melhorar a qualidade dos seus serviços.

Por exemplo, a empresa diz que efectuou 247 mil novas ligações de energia, em 2018, e o acesso à electricidade passou de 28 para 34 por cento, o que alimenta a expectativa de alcançar o acesso universal à electricidade até 2030. Isto não passa de uma grande estupidez. O que adianta expandir a rede, mas os moçambicanos não usufruírem de energia?

É importante que se diga que, durante mais de 40 anos, a EDM não conseguiu prover energia eléctrica a pelo menos 50 porcento da população. A EDM, portanto, deve repensar na sua abordagem, focando-se na qualidade ds serviços que presta, ao invés de se preocupar em atingir as metas de Desenvolvimento Sustentável.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!