Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

União Europeia vai reforçar apoio a Moçambique com 463 milhões de meticais

A União Europeia (UE) deverá canalizar, adicionalmente, em 2013, perto de 12 milhões de euros, correspondentes a 463 milhões de meticais, para apoiar os esforços de Moçambique com vista a fazer face ao crescente aumento dos preços de combustíveis e bens diversos no mercado internacional.

Para o período 2007/2013, a organização aprovou um fundo de 622 milhões de euros, equivalentes a 24 biliões de meticais, para impulsionar o desenvolvimento socioeconómico do país, segundo a delegação da UE em Maputo, realçando, entretanto, que a combinação de factores diversos pode causar “efeitos macroeconómicos adversos ao país”.

A boa governação, saúde, infra-estruturas, integração regional, segurança alimentar, desenvolvimento rural e sectores sociais são as áreas que mais beneficiam do apoio da União Europeia no país, de acordo com a mesma instituição, acrescentando que o valor adicional recentemente aprovado visa reforçar a capacidade de o país superar “choques externos imprevistos”.

Prioridades

As prioridades do seu apoio ao país destinam-se para as infra-estruturas de transportes e a integração económica de Moçambique na Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), segundo ainda a delegação, justificando que a escolha destes sectores deve-se ao facto de os mesmos contribuírem para o “alívio da pobreza, através do aumento de empregos, comércio e acesso a mercados domésticos e internacionais”.

O outro destino do apoio europeu é da agricultura e de- senvolvimento rural, de acor- do ainda com a UE, salientando que aquelas actividades contribuem para o aumento da segurança alimentar e dos rendimentos dos sectores fa- miliares e empresarial.

No que respeita ao estágio da economia moçambicana, a UE realça que o seu crescimento “supera as estimativas”, contudo, salienta que no país ainda registam-se preocupações quanto ao “lento processo de reforma do sector da Justiça e dificuldades na gestão das despesas públicas”.

A União Europeia, refira-se, é o maior parceiro externo de Moçambique em termos de ajuda pública ao desenvol- vimento e um dos principais contribuintes para o Orçamento do Estado do país.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!