Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Unesco vai designar na próxima semana novos patrimônios mundiais

Trinta sítios naturais e culturais, entre eles a brasileira Rota do Ouro de Paraty, podem virar patrimônio mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) quando seu comitê se reunir na sessão anual de de 22 a 30 de julho em Sevilha, Espanha.

Todos os anos, o comitê acrescenta no máximo trinta novos sítios na lista, iniciada pela Convenção da Unesco de 1972 sobre a proteção do patrimônio mundial e assinada até agora por 141 países. Este ano a Unesco deve realizar uma reflexão sobre a credibilidade de uma lista que conta com um número próximo dos mil sítios, e os meios de agir para que o “selo da Unesco” não se torne uma simples marca de reconhecimento utilizada no mundo para atrair o turismo de massa, segundo a organização.

Bens naturais:

– O mar dos Wadden (Alemanha e Holanda)

– Parque natural das colunas de Lena (Rússia)

– As Dolomitas (Itália)

– Parque natural do recife de Tubbataha (Filipinas)

– Litoral coreano dos dinossauros do Cretáceo (Coreia do Sul)

 

Bens culturais:

– A obra arquitetônica e urbana de Le Corbusier (Alemanha, Argentina, Bélgica, França, Japão, Suíça).

– Schwetzingen/Uma casa de veraneio do príncipe eleitor, a arte dos jardins e alusões à franco-maçonaria (Alemanha)

– Cidade de Graz/Centro histórico e castelo de Eggenberg (Áustria)

– O patrimônio espiritual tangível de Santo Euphrosyne em Polotsk (Belarus)

– Palácio Stoclet (Bélgica)

– Zona cultural da cidade histórica de Jajce (Bósnia-Herzegovina).

– Rota do Ouro em Paraty e sua paisagem (Brasil)

– As Ruínas de Loropeni (Burkina Fasso)

– Cidade Velha, centro histórico de Ribeira Grande (Cabo Verde).

– Monumentos históricos do Monte Songshan (China)

– Cidade histórica de Grand-Bassam (Costa do Marfim)

– A rota do mercúrio e da prata (Caminho Real Intercontinental/Almadén, Idrija, e San Luis Potosí – Espanha, México e Eslovênia)

– A Torre de Hércules (farol que data do Império Romano na Galícia (Espanha)

– Parques naturais Causses e Cévennes (França)

– A grande salina de Salins-les-Bains, a salina real de Arc-et-Senans (França)

– O sistema hidráulico histórico de Shushtar: pontes, represas, canais, construções e moinhos, do passado e do presente (Irão)

– A porta dos três arcos em Dan (Israel).

– Italia Langobardorum, local de poder e de culto em 568-774 AC (Itália)

– Montanha sagrada de Sulamain-Too (Quirguistão)

– Mehrgarh, Rehman Dheri e Harappa enquanto extensão dos sítios da civilização do Vale dos Indus (Paquistao)

– Cidade Sagrada de Caral-Supe (Peru)

– Tumbas reais da dinastia Joseon (Coreia do Sul)

– Sítios da Gran-Morácia, estabelecimento fortificado eslavo de Mikulcice/igreja de Santa Margarita de Antióquio em Kopcany (República Tcheca e Eslováquia).

– Igreja da Resurreição do monastério de Suvevita (Romênia)

– A ponte canal e o canal de Pontcysyllte (Reino Unido)

– Levoca e as obras do Mestre Paul em Spis (Eslováquia).

– Seruwila Mangala Raja Maha Viharaya, extensão da cidade sagrada de Kandy (Sri Lanka).

– Granjas e povoados de Hälsingland (Suécia)

– Le Chaux-de-Fonds/Le Locle (Suíça)

 

Bens misto:

– Monte Wutai (China)

– Parque natural de Lonjsko Polje (Croácia)

– Paisagem natural de Orheiul Vechi (República da Moldávia).

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!