Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Um milhão e meio de pessoas vão Beneficiar de água com fornecimento contínuo e de qualidade

O FIPAG -Fundo de Investimento e Património do Abastecimento de Água anunciou na quarta-feira, em Maputo, que quando estiver concluído o projecto em curso que compreende diversas obras de ampliação da capacidade de produção e de transporte de água, redução de perdas, reabilitação, reforço e extensão do sistema de abastecimento de água, bem como o abastecimento de água às zonas peri-urbanas dos Municípios de Maputo e da Matola, espera-se que pelo menos um milhão e meio de pessoas serão servidas com um fornecimento contínuo e de qualidade de água.

Segundo anunciado ainda ontem, o investimento global respeitante a execução do projecto é de cerca de 3.6 mil milhões de Meticais e resulta de um financiamento conjunto, envolvendo o Banco Europeu de Investimentos, a União Europeia, o Governo da Holanda através do Programa ORET, a Agência Francesa de Desenvolvimento e o Governo de Moçambique, estabelecido em Outubro do ano passado.

Ao abrigo do projecto estão em curso obras de reabilitação e extensão da estação de captação e de tratamento de água do Umbelúzi, com uma duração de 18 meses, a partir de finais do corrente mês de Março, as quais estão orçadas em cerca de 1.3 mil milhões de meticais, sendo executadas pelo consórcio Motta Engil/EFACEC/ SOGITEL; Obras de construção de 19 quilómetros de uma nova adutora e reabilitação da adutora existente, a serem executadas pela China Geo-Engeenering and Corporation, com uma duração de 18 meses, estando orçadas em 729,7 milhões de meticais.

Paralelamente decorrem obras de expansão do sistema de abastecimento de água para novas áreas, a serem executadas pela empresa China Henan International – CHICO, orçadas em cerca de 459,7 milhões de meticais e com um prazo de execução de 18 meses; e ainda as obras para a construção de 13 pequenos sistemas de abastecimento de água aos bairros peri-urbanos dos Municípios de Maputo e da Matola, a serem executadas pela Profuro International.

Essa empreitada tem um prazo de seis meses e está orçada em cerca de 85 milhões de meticais. Por fim foi estabelecida uma parceria com Pequenos Operadores Privados (POP´s) para a extensão de três sistemas privados de abastecimento de água, através de um subsídio de 600 mil meticais; além de uma consultoria para a elaboração do Plano Director de Abastecimento de Água para a área Metropolitana de Maputo, sendo o valor do contrato de 36 milhões de meticais, devendo o trabalho ser executado pelo consórcio C. Lotti & Associati e SIM Spa GICO Branch, com um prazo estimado em 11 meses.

É de referir, entretanto, que a meta do Governo era abastecer 60% da população urbana com água potável até finais de 2009, no quadro na luta para a redução e alívio a pobreza absoluta. Por outro lado, abastecer 70% da população total do país até 2015 constituem as metas do Milénio subscritas pelo nosso País.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!