Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Um milhão e meio de pessoas vão Beneficiar de água com fornecimento contínuo e de qualidade

O FIPAG -Fundo de Investimento e Património do Abastecimento de Água anunciou na quarta-feira, em Maputo, que quando estiver concluído o projecto em curso que compreende diversas obras de ampliação da capacidade de produção e de transporte de água, redução de perdas, reabilitação, reforço e extensão do sistema de abastecimento de água, bem como o abastecimento de água às zonas peri-urbanas dos Municípios de Maputo e da Matola, espera-se que pelo menos um milhão e meio de pessoas serão servidas com um fornecimento contínuo e de qualidade de água.

Segundo anunciado ainda ontem, o investimento global respeitante a execução do projecto é de cerca de 3.6 mil milhões de Meticais e resulta de um financiamento conjunto, envolvendo o Banco Europeu de Investimentos, a União Europeia, o Governo da Holanda através do Programa ORET, a Agência Francesa de Desenvolvimento e o Governo de Moçambique, estabelecido em Outubro do ano passado.

Ao abrigo do projecto estão em curso obras de reabilitação e extensão da estação de captação e de tratamento de água do Umbelúzi, com uma duração de 18 meses, a partir de finais do corrente mês de Março, as quais estão orçadas em cerca de 1.3 mil milhões de meticais, sendo executadas pelo consórcio Motta Engil/EFACEC/ SOGITEL; Obras de construção de 19 quilómetros de uma nova adutora e reabilitação da adutora existente, a serem executadas pela China Geo-Engeenering and Corporation, com uma duração de 18 meses, estando orçadas em 729,7 milhões de meticais.

Paralelamente decorrem obras de expansão do sistema de abastecimento de água para novas áreas, a serem executadas pela empresa China Henan International – CHICO, orçadas em cerca de 459,7 milhões de meticais e com um prazo de execução de 18 meses; e ainda as obras para a construção de 13 pequenos sistemas de abastecimento de água aos bairros peri-urbanos dos Municípios de Maputo e da Matola, a serem executadas pela Profuro International.

Essa empreitada tem um prazo de seis meses e está orçada em cerca de 85 milhões de meticais. Por fim foi estabelecida uma parceria com Pequenos Operadores Privados (POP´s) para a extensão de três sistemas privados de abastecimento de água, através de um subsídio de 600 mil meticais; além de uma consultoria para a elaboração do Plano Director de Abastecimento de Água para a área Metropolitana de Maputo, sendo o valor do contrato de 36 milhões de meticais, devendo o trabalho ser executado pelo consórcio C. Lotti & Associati e SIM Spa GICO Branch, com um prazo estimado em 11 meses.

É de referir, entretanto, que a meta do Governo era abastecer 60% da população urbana com água potável até finais de 2009, no quadro na luta para a redução e alívio a pobreza absoluta. Por outro lado, abastecer 70% da população total do país até 2015 constituem as metas do Milénio subscritas pelo nosso País.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!