Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Turistas moçambicanos

No ano de 2010 @Verdade teve a oportunidade de conhecer um pouco deste nosso imponente vizinho que chamamos terra do rand.  Com o Mundial à porta e muitas camas por ocupar – a crise mundial afastou os apetitosos turistas europeus, japoneses e americanos – a Autoridade de Turismo Sul-Africana decidiu procurar turistas no continente! Como turistas cinco estrelas visitámos todas as cidades que acolheram os jogos e partilhámos essas experiências com os nossos leitores: os moçambicanos não só estiveram presentes nos estádios como fizeram imensas compras.

Segundo a VISA os turistas nacionais foram os terceiros mais gastadores só atrás de americanos e ingleses. Se pensarmos que a grande maioria dos turistas nacionais prefere gastar em dinheiro vivo talvez até tenhamos gasto bem mais.

Novo ano e já chegou o novo convite dos sulafricanos para visitar o seu país e contar aos moçambicanos as milhares de maravilhas que existem para lá da fronteira de Ressano Garcia (ou da Namaacha, ou de Goba).

Os nossos leitores interrogam- nos: mas então vocês escrevem sobre os destinos turísticos de outros países e não falam da pérola do Índico? A resposta é que cá dentro os nossos agentes de turismo não parecem preocupados com os turistas moçambicanos e talvez por isso não convidam os jornalistas locais para conhecê-los e partilhar com os moçambicanos as belezas deste nosso vasto país.

Por outro lado viajar em Moçambique por via aérea é quase um luxo, por via terrestre quem não tenha um 4×4 não pode sonhar com grandes viagens.

Por outro lado, o que nos levaria a investir na divulgação do turismo nacional se os seus operadores pouco fazem? Como diz o povo “There’s no such thing as a free lunch” (em tradução literal “Não há almoços de borla”).

Uma das fórmulas de divulgação desta indústria, em todo o mundo, é simples e há muito funciona – convidam- se jornalistas para viagens em primeira classe, com dormidas em hotéis de cinco estrelas, passeios deslumbrantes e jantares dignos de fartos. Aliando a este charme uma campanha de publicidade e os resultados têm sido positivos.

Ainda há poucas semanas Moçambique tornou público que não iria participar na feira de turismo que se realiza anualmente em Espanha. A razão é porque aconteceu na mesma altura que a Feira de Turismo de Lisboa.

Bem convém esclarecer que estas feiras internacionais, ao contrário dos acontecimentos que se organizam no nosso país, são programadas com pelo menos um ano de antecedência, pareceme inaceitável que seja muito complicado enviar dois representantes, um para cada feira. Ou será que quem vai a esses lugares é a mesma pessoa?

Porque estamos à espera de turistas estrangeiros se há tantos cá dentro?

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!