Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Turismo Internacional Duplica receitas

O assessor sénior de Turismo da SNV-Moçambique, Luís Sarmento, considera que o Sector do Turismo temestado a registar nos últimos tempos um crescimento progressivo que se traduz por um aumento gradual esignificativo do número de visitantes chegados ao país que vêm ocupar um número igualmente crescente de camas e quartos em unidades de alojamento de diversas categorias.

 

De acordo com Luís Sarmento, os investimentos em unidades de alojamento têm crescido em volume particularmente nos últimos quatros anos, numa altura em que dados do Banco de Moçambique (BM) e do Instituto Nacional de Estatística (INE), indicam que as receitas com o Turismo Internacional subiram para o dobro entre 2004 e 2008.

 

Dissertando sobre Turismo em Moçambique, Desenvolvimento Local e o “Emponderamento” dos Moçambicanos, Luís Sarmento referiu que “importa agora verificar se este cenário de crescimento tem estado a reflectir-se em evidências concretas no aumento de vínculos económicos locais que respondam à demanda crescente de serviços e produtos solicitados pelos serviços turísticos”. Disse que importa também reflectir sobre se estes potenciais vínculos económicos criam impactos reais no espaço económico do território do destino turístico e como participam os cidadãos locais nos empreendimentos que produzem os produtos e serviços fornecidos às operações turísticas locais, sejam estas de alojamento, restauração ou actividades de lazer.

“Quantos trabalhadores estão empregados no sector usufruindo de condições dignas, sejam elas salariais ou de carreiras profissionais. Quantos locais/nacionais estão envolvidos como empresários em negócios relacionados com o sector. Quantas cadeias de valor locais (de produtos fornecidos aos empreendimentos turísticos) estão activas e que volumes transaccionam. Quantas pessoas de baixa renda estão incluídas nestas cadeias”, questionou.

Para o palestrante, são indicadores como estes que devem ser analisados com vista a permitir uma leitura clara sobre os impostos augurados para um turismo mais “Proactivo”. Segundo Luís Sarmento, a sustentabilidade do processo de crescimento do turismo em Moçambique deve ser garantida pela inclusão dos moçambicanos em todos os negócios relacionados com o sector e acima de tudo talvez, os serviços de hospitalidade dão um posto particular para os cidadãos nacionais que, em última análise são os hospedeiros.

Durante a sua apresentação na IV Conferência Anual do Sector Privado Região Sul, Luís Sarmento questionou como criar as condições para que mais e mais moçambicanos se possam envolver com os negócios proporcionados pelo turismo? Que podem os indivíduos e instituições fazer para que se consolide a actividade económica no contexto do espaço nacional, para que o turismo deixe no espaço económico moçambicano, mais valias que contribuam para o desenvolvimento local e por consequência para o alívio à pobreza?

Por outro lado, questionou igualmente como fazer para que os moçambicanos se “apropriem” dos meios de produção e para que se desenvolvem capacidades empresariais nacionais que se identifiquem com a actividade económica e que dela possam tirar maior e melhor partido? Que papéis deverão desempenhar o Sector Público e o Sector Privado?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!