Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Tia detida por torturar gravemente sobrinho na Matola

Um adolescente de 17 anos de idade encontra-se gravemente ferido e pode falhar as primeiras semanas de aulas prestes a iniciar, em consequência de ter sido torturado pela própria tia, no bairro 1o de Maio, no município da Matola, supostamente por ter-lhe roubado dinheiro.

A agressora, presa na 5a esquadra da Polícia da República de Moçambique (PRM) naquele ponto do país, não esclareceu quanto dinheiro o miúdo roubou, mas disse que o caso aconteceu há mais de um ano, facto que deixou a família da vítima e as autoridades perplexas.

Durante o tempo que transcorreu, ela estava alegadamente à procura do rapaz para clarificar o assunto e no dia em que o encontrou optou em submetê-lo a maus-tratos para confessar a autoria do crime.

A senhora, com pouco mais de 50 anos de idade, contou a ajuda de uma sobrinha jovem, também encarcerada, para amarrar e passar ferro quente de engomar no corpo da vítima.

O adolescente, com o troco ferido e sem movimentos no braço esquerdo, teve alta médica na segunda-feira (16). Ele passou a depender da mãe para fazer um pouco de tudo.

O rapaz relatou as sevícias por que passou nas mãos da tia: “ela amarrou-me as mãos e os pés com atacadores, tapou-me a boca com o lenço que usa na cabeça e bateu-me”.

A crueldade a que o miúdo foi submetida não parou por ai: “ela mandou buscar um cabo de energia, ferros e bateu em mim. Queimou-me o corpo com o ferro de engomar e disse que eu havia de confessar que roubei. Amarrou-me nas grades” tal como se faz com um animal…

Enquanto isso, a sobrinha, que estava em casa da tia para passar as festas, fervia água com a qual se regou o tronco do adolescente.

Sem mostrar arrependimento, a indiciada assumiu que torturou o sobrinho, mas alegou que não pretendia causar-lhe ferimentos. “Foi sem querer”.

De acordo com ela, o rapaz queimou-se quando tentava fugir, tendo esbarrado na prima, que trazia nas mãos uma chaleira de água fervida.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!