Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Tia detida por torturar gravemente sobrinho na Matola

Um adolescente de 17 anos de idade encontra-se gravemente ferido e pode falhar as primeiras semanas de aulas prestes a iniciar, em consequência de ter sido torturado pela própria tia, no bairro 1o de Maio, no município da Matola, supostamente por ter-lhe roubado dinheiro.

A agressora, presa na 5a esquadra da Polícia da República de Moçambique (PRM) naquele ponto do país, não esclareceu quanto dinheiro o miúdo roubou, mas disse que o caso aconteceu há mais de um ano, facto que deixou a família da vítima e as autoridades perplexas.

Durante o tempo que transcorreu, ela estava alegadamente à procura do rapaz para clarificar o assunto e no dia em que o encontrou optou em submetê-lo a maus-tratos para confessar a autoria do crime.

A senhora, com pouco mais de 50 anos de idade, contou a ajuda de uma sobrinha jovem, também encarcerada, para amarrar e passar ferro quente de engomar no corpo da vítima.

O adolescente, com o troco ferido e sem movimentos no braço esquerdo, teve alta médica na segunda-feira (16). Ele passou a depender da mãe para fazer um pouco de tudo.

O rapaz relatou as sevícias por que passou nas mãos da tia: “ela amarrou-me as mãos e os pés com atacadores, tapou-me a boca com o lenço que usa na cabeça e bateu-me”.

A crueldade a que o miúdo foi submetida não parou por ai: “ela mandou buscar um cabo de energia, ferros e bateu em mim. Queimou-me o corpo com o ferro de engomar e disse que eu havia de confessar que roubei. Amarrou-me nas grades” tal como se faz com um animal…

Enquanto isso, a sobrinha, que estava em casa da tia para passar as festas, fervia água com a qual se regou o tronco do adolescente.

Sem mostrar arrependimento, a indiciada assumiu que torturou o sobrinho, mas alegou que não pretendia causar-lhe ferimentos. “Foi sem querer”.

De acordo com ela, o rapaz queimou-se quando tentava fugir, tendo esbarrado na prima, que trazia nas mãos uma chaleira de água fervida.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!