Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Terceiro ataque no norte do Quénia em 48 horas mata cinco policiais

Pelo menos cinco policiais morreram nesta quinta-feira em uma explosão no norte do Quénia, onde nas últimas 48 horas morreram no total 14 agentes em três ataques diferentes perpetrados perto da fronteira com a Somália, informaram os meios locais.

A explosão ocorreu na manhã desta quinta-feira durante a passagem de um veículo policial em uma estrada próxima à cidade de Liboi, no condado de Garissa. Dois polícias morreram no ato e outros três algumas horas mais tarde em consequência da gravidade dos ferimentos, precisaram fontes policiais ao jornal “Daily Nation”.

Também em Liboi, quatro polícias morreram e oito pessoas ficaram feridas depois da explosão de uma mina terrestre colocada em uma estrada. Horas depois, outros cinco agentes perderam a vida em uma explosão durante a passagem de um veículo de segurança na zona de Simo (norte), quando escoltavam o governador de Mandera, Ali Ibrahim, que se dirigia a um comício de campanha eleitoral.

O grupo jihadista Al Shabab reivindicou a autoria dos três ataques feitos nas últimas 48 horas, disseram meios locais.

Esta onda de ataques ocorre depois que o inspetor geral da polícia, Joseph Boinnet, advertiu sobre a presença de membros do grupo terrorista Al Shabab no Quénia, onde estariam planeando ataques.

“Estes grupos estão enviando membros a algumas zonas do nordeste para colocar artefactos explosivos improvisados (IED, em inglês) ao longo das rotas utilizadas pelas nossas patrulhas com o objectivo de frustrar nossas operações de segurança nas áreas fronteiriças”, disse Boinnet.

Na zona fronteiriça do Quénia com a Somália, que costuma sofrer ataques da Al Shabab, está mantido o toque de recolher desde o anoitecer ao amanhecer, já que os terroristas fazem incursões através da porosa fronteira.

O Al Shabab, que aderiu formalmente à Al Qaeda em 2012, matou cerca de 500 pessoas no Quênia desde abril de 2013 em represália pelo envio de tropas à Somália para combater o jihadismo.

O pior atentado do Al Shabab em território queniano ocorreu em abril de 2015, quando 148 pessoas morreram no ataque de um comando terrorista à Universidade de Garissa (norte do Quênia), cujas instalações mantiveram sob controle durante 16 horas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!