Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Terceira semana de greve de enfermeiros no Burundi

A greve do Sindicato Nacional dos Enfermeiros e Pessoal Paramédico do Burundi (SYNAPA) entrou, Terça-feira (18), na sua terceira semana e os grevistas ameaçam a endurecer o seu movimento se as suas reivindicações salariais e para melhores condições de trabalho não forem satisfeitas.

O conflito social entre o Estado e o poderoso sindicato dura desde 2009, data da assinatura dum acordo nado morto, enquanto ele devia culminar na revitalização financeira do estatuto dos pessoais da Saúde pública, deploram os grevistas.

A nova greve está a bater todos os recordes de duração no sector sensível da Saúde Pública e numerosos são os burundeses que começam a recear seriamente pela vida dos doentes.

Os representantes dos grevistas e o segundo Vice-Presidente burundês encarregado das Questões Socioeconómicos, Gervais Rufyikiri, deveriam encontrar uma saída para a crise, Segunda-feira.

Mas, logo após a reunião, o representante do sindicato, Mélance Hakizimana, anunciou a recondução do movimento de greve para uma duração que , segundo ele, será determinada por uma resposta – mais satisfatória – às reivindicações corporativas.

O líder sindical deixou pairar uma ameaça sobre o serviço mínimo nos serviços de saúde que os grevistas observaram até ao presente e advertiu que as intimidações e as ameaças de despedimentos colectivos não são a solução.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!