Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Tensão sobe na África do Sul depois do relatório sobre “escândalo” Jacob Zuma

A cinco semanas das eleições gerais na África do Sul, a tensão subiu entre o Congresso Nacional Africano (ANC, partido no poder) e a oposição oficial da Aliança Democrática (DA) sobre o último escândalo que implica o Presidente Jacob Zuma.

O Presidente Zuma e o seu partido, o ANC, foram ambos atacados no caso dos 20 milhões de dólares americanos gastos para as obras de reabilitação da residência privada do chefe de Estado sul-africano com o dinheiro dos contribuintes.

O Governo indicou, esta terça-feira, que fará face a resultados do relatório de 445 páginas do procurador Thuli Madonsela, que acusa Zuma de ter excessivamente beneficiado das obras de renovação da sua residência privada de Nkanda. O ministro da Polícia, Nathi Mthethwa, que foi citado no relatório, declarou que foram identificadas inexatidões no relatório de Madonsela.

A Aliança Democrática, que pretende alegadamente aproveitar-se deste escândalo, está a pedir reembolso de Zuma, que deve ser depositado no Parlamento pelo que ele deve pagar aos contribuintes, como resultado do projeto que aumentou consideravelmente os últimos dois anos.

O líder parlamentar da DA, Lindiwe Mazibuko, declarou que o seu partido está a buscar aconselhamentos em direito nos quais o recurso vai apoiar-se para garantir que Zuma e todas as partes que estão implicadas, se conformem totalmente com as recomendações no relatório. O partido “Freedom Front Plus” entrou na polémica apelando para um debate parlamentar urgente sobre este relatório.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!