Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Tensão forte entre Nigerianos e Sul-africanos em Pretoria e Joanesburgo

As tensões permanecem fortes entre Nigerianos e Sul-africanos em Gauteng, a província mais povoada da África do Sul, onde ocorreu uma onda de ataques xenófobos perto dos pólos económicos de Pretoria e Joanesburgo que exacerbaram a ira dos estrangeiros.

Um grupo de manifestantes teria, quinta-feira, atacado e vandalizado a sede da MTN (operadora de telefonia sul-africana) em Abuja, a capital federal nigeriana, em represálias aparentemente à violência contra Nigerianos na África do Sul.

O incidente coincidiu com a visita do presidente da MNT, Phuthuma Nhleko, a Abuja para se reunir com o seu vice, Osingbajo.

Quarta-feira última, um grupo de Nigerianos organizou uma manifestação contra xenofobia sul-africana fora da embaixada da África do Sul em Abuja.

A violência xenófoba no início desta semana sacudiu a cidade de Atteridgeville, coincidindo com um apelo do Governo nigeriano à África do Sul para proteger seus cidadãos. A Polícia sul-africana confirmou que várias lojas pertencentes a estrangeiros foram visadas mas que nenhum caso de morte foi assinalado.

A Presidência nigeriana exortou a União Africana a “intervir rapidamente” afirmando que pelo menos 116 Nigerianos foram mortos na África do Sul nos últimos dois anos em idênticas circunstâncias.

O edil de Joanesburgo, Herman Mashaba, foi criticado por ter declarado que os imigrantes ilegais estavam ligados a atividades criminosas na cidade.

Aludindo a esta crise durante uma conferência de imprensa na cidade do Cabo quinta-feira, o ministro sul-africano do Interior, Malusi Gigaba, advertiu as empresas locais que empregam imigrantes ilegais. Contudo, sublinhou que nem todos os imigrantes estão indocumentados ou entraram ilegalmente no país.

Em previsão de uma marcha de protesto contra imigrantes, que devia ocorrer quinta-feira em Pretoria, a capital do país, Gigaba exortou os membros da comunidade sul-africana e organizadores deste evento a agirem no quadro da lei. Há cerca de 800 mil Nigerianos na África do Sul, maioritariamente em Joanesburgo e em Pretoria.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!