Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ténis: Nadal vence Djokovic em mais uma final histórica e é bicampeão do US Open

Habituados a protagonizar grandes duelos em finais de Grand Slams, Rafael Nadal e Novak Djokovic fizeram mais uma espectacular partida de ténis na final do US Open nesta segunda-feira, e o espanhol sagrou-se bicampeão ao vencer por 3 sets a 1, com parciais de 6-2, 3-6, 6-4 e 6-1. Nadal repetiu o que havia feito em 2010.

Nesse ano, saiu da quadra central do complexo de Flushing Meadows com o seu primeiro troféu do último Grand Slam da temporada, também depois de bater Djokovic por 3 a 1.

Não foram essas duas as únicas vezes em que os dois primeiros colocados do ranking da ATP na atualidade se enfrentaram numa partida valendo o troféu de um dos quatro grandes torneios do circuito. Eles têm no histórico outtas quatro finais, entre elas a do Aberto da Austrália de 2012, a mais longa da história dos Slams, em que o sérvio venceu após 5h53min de jogo. O saldo agora é de três vitórias para cada lado.

A partida desta segunda-feira durou bem menos, 3h20min, mas nem por isso será esquecida rapidamente. Número 1 do mundo, ‘Djoko’ resistiu bravamente, ao menos nos três primeiros sets. No quarto, Nadal foi arrasador, fechou a partida e chegou a 13 títulos em 19 finais de Grand Slams na carreira.

O segundo colocado do ranking dá sequência, assim, a uma volta em grande estilo. Depois de ter sido eliminado na segunda rodada de Wimbledon no ano passado, ele perdeu a segunda posição da lista. A partir daí, ficou sete meses sem competir devido a uma grave lesão no joelho e chegou a cair para a quinta colocação.

Em fevereiro deste ano, porém, Nadal voltou com tudo. Desde então, ele disputou 12 torneios, se classificando para 12 finais e vencendo dez delas. O único resultado mau foi a derrota logo na estreia em Wimbledon.

Nadal começou melhor e teve uma quebra de saque logo no terceiro game. Djokovic até chegou ao iguais, mas não resistiu à variação de jogadas do adversário. O sérvio até abriu 0-30 para igualar a parcial logo em seguida, mas desperdiçou a chance. No sétimo game, o número 2 do mundo acertou as devoluções, deixou ‘Nole’ nitidamente nervoso e fez 5-2. Na sequência, confirmou o seu saque e fechou o set em 6-2.

O segundo set foi equilibrado no começo, com os jogadores confirmando serviço até o sexto game, quando teve início uma sequência de três quebras. A primeira foi de ‘Djoko’, que após rali de 54 bolas trocadas, aproveitou bola na rede do espanhol. Nadal devolveu na sequência e abriu 40-15 para manter a parcial igual, mas levou a virada e foi derrotado por 6-3.

O sérvio colocou-se em vantagem na partida ao começar o terceiro set aproveitando um break point. Ele confirmava os seus saques com facilidade, enquanto o adversário suava para se manter vivo na parcial. Até que no sexto game ‘Djoko’ foi muito irregular e perdeu o serviço. Nadal escorregou no segundo ponto do nono game, e logo depois Djokovic teve 0-40, mas espanhol o reagiu e salvou o serviço. Na sequência, o líder do ranking vacilou no 30-15, permitiu virada e permitiu que o rival fizesse 2 a 1 na partida.

‘Nole’ novamente teve break point no primeiro game no quarto set. Foram duas chances, mas ambas foram desperdiçadas. O troco veio no game seguinte, em que Nadal abriu 0-40. O sérvio reagiu, mas teve o saque quebrado.

Sentindo o golpe, Djokovic não conseguiu reagir. O espanhol então se aproveitou do mau momento psicológico do adversário, conseguiu uma segunda quebra de vantagem, no sexto game, e na sequência fechou a parcial em 6-1 e a final em 3 a 1.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!