Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Standard Bank Open: Tenista argentino Matias Descotte sagra-se campeão absoluto ao ganhar segundo Futur

O argentino Matias Descotte conquistou, no sábado, 17 de Novembro, o segundo Future da oitava edição do Standard Bank Open, ao derrotar o zimbabweano Benjamin Lock por 6-2/6-3, repetindo a proeza alcançada na final do primeiro Future, disputada no passado dia 10.

O jogo, que marcou o encerramento do Standard Bank Open 2018, foi antecedido pelas finais do Top Moz, conquistadas pelos tenistas Jossefa Simão, Nancy Onya, Sharif Ahmed e Masiza Ntsangase, nas categorias de singulares (homens e mulheres) e veteranos (com mais de 35 anos e com mais de 45 anos), respectivamente.

Após a conquista deste troféu, o segundo na sua conta pessoal nesta edição, Matias Descotte era um atleta realizado e elogiou o seu adversário, Benjamin Lock, que, na sua opinião, “é um bom jogador e contribuiu para o bom jogo que proporcionámos ao público”.

Mais adiante, o argentino congratulou a organização pelo excelente torneio, bem como o público, que sempre torceu pelos atletas, transmitindo-lhes energia e confiança sempre que estivessem em campo. Já o vencedor do Top Moz em singulares homens, Jossefa Simão, afirmou que a sua vitória por 6-0/6-1 pode ter sido resultado da sua participação nos Futures, durante os quais interagiu com atletas estrangeiros e aprendeu novas técnicas de jogo.

Entretanto, Jossefa Simão lamentou o facto de o seu adversário, Jaime Sigaúque, não ter tido melhor desempenho em campo, contrariamente ao que demonstrava nos treinos. “Ele não esteve no seu melhor dia. Digo isto, porque venho treinando com ele. Mas a minha participação nos Futures ajudou-me a melhorar o meu desempenho”.

Ainda no que diz respeito ao Top Moz, Helder Simão e Ana Vassilis sagraram-se vencedores na categoria Sub-18 rapazes e raparigas, ao derrotarem, na final, Edilson Rosa e Cláudia Chilaúle, respectivamente. Nos Futures, a dupla Luke Gamble e Tyler Lu derrotou os vencedores do primeiro Future, os irmãos Benjamin e Courtney Lock, em pares masculinos, por 5-7 6-3 (10-6).

Na hora do balanço, o representante do Standard Bank, Alfredo Lemos, referiu que o torneio superou as expectativas desde os primeiros dias, tendo em conta que contou com a participação de atletas oriundos dos quatro cantos do mundo, bem como mais de 600 crianças provenientes de seis escolas da cidade e província de Maputo.

“Tivemos, aqui, 64 atletas em representação de 18 países. O nosso maior ganho é o intercâmbio entre os tenistas moçambicanos e estrangeiros, pois permite que haja troca de experiência e rodagem dos nacionais, e que estes possam ascender ao nível das competições internacionais”, enfatizou Alfredo Lemos.

O representante do Standard Bank foi secundado pelo presidente da Federação Moçambicana de Ténis, Valige Tauabo, que realçou a evolução da qualidade no que diz respeito à organização e ao desempenho dos atletas. Acima de tudo, acrescentou Valige Tauabo, “dignificámos a região e o continente, ao termos um zimbabweano a disputar as finais das duas séries (Future I e II), e isso honra o País ao nível da Federação Internacional de Ténis pois, para além de termos organizado este torneio, dirigimos o secretariado da Zona V (África Austral)”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!