Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Sindicato solicita auditoria interna

Cento cinquenta e seis trabalhadores da Empresa de Construção e Manutenção de Estradas e Pontes (ECMEP), em Nampula, representados pelo respectivo comité sindical, endereçaram ao Chefe do Estado, Armando Guebuza, uma carta de três páginas, na qual solicitam ao mais alto dirigente da nação moçambicana a autorizaçao para a realização de uma auditoria interna a fim de se avaliar o estágio actual daquela instituição tutelada pelo Ministério das Obras Públicas e Habitação.

Na sua carta reivindicativa, datada de 30 de Maio último, os trabalhadores denunciam ao Presidente da República uma série de irregularidades relacionadas, alegadamente originadas com o mau desempenho dos responsáveis da ermpresa, facto que concorre para os sistemáticos atrasos salariais e falta de pagamento das ajudas de custo aos traballahadores nas deslocações em missão de serviço.

À luz do Decreto 13/99 de 27 de 27 de Abril, o governo criou representações regionais da ECMP, com delegações baseadas em Maputo, Beira e Nampula, com o objectivo de assegurar a manutenção e/ou construção de estradas e pontes.

Com a introduçao da chamada “lei do mercado livre”, que permite o surgimento de outras empresas do sector privado, a ECMP deixou de ter “monopólio” no exercício da actividade.

Este facto faz com que a empresa não consiga sobreviver, conforme referiu ao Wamphula Fax , José Amélia Zacarias, secretário do Comité Sindical da empresa em Nampula.

O nosso Jornal soube, ainda, através do comité sindical, de um roubo na ordem de 6,6 milhões de meticais e do do desaparecimento de um camião plataforma na ECMEP, em Nampula.

Zacarias responsabiliza o administrador executivo, Estevão Sululo, pela gestão ruinosa da empresa, sustentando que muitas obras executadas ainda não foram pagas apesar da empresa enfrentar uma grave crise financeira.

Abordado à volta desta matéria, Estevão Sululo escusou-se a tecer qualquer comentário, limitando-se a dizer que se trata de assuntos de foro interno, cuja solução passa por um diálogo social.

Entretanto, soubemos, ainda, que um encontro de emergência atinente, entre o sindicato e os representantes da empresa, está marcada para às 14 horas desta quarta-feira.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!