Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Seif al-Islam Khadafi julgado num Tribunal líbio

O Tribunal Penal de Zentan (cerca de 175 quilómetros a sudoeste de Tripoli) organizou, Quinta-feira (18), a sua primeira sessão para julgar Seif al-Islam Kadafi, filho do antigo líder líbio Muamar Khadafi, por “atentado contra a segurança do Estado” e por “cumplicidade com uma delegação do Tribunal Penal Internacional” (TPI) que lhe visitou em Junho de 2012.

O porta-voz oficial do Procurador-Geral líbio, Tah al-Bear, revelou à imprensa que o réu é acusado de atentado à segurança do Estado, de tentativa de fuga e de ter “manchado a bandeira líbia”.

Ele precisou que o julgamento foi adiado para 2 de Maio de 2013 até Seif al-Islam encontrar um advogado para o defender.

Ele indicou que o julgamento de Seif al-Islam diante do Tribunal Penal de Zentaan não tem relação com as principais acusações contra ele que, segundo ele, serão objecto dum outro processo cuja data não precisou.

É a primeira vez que o filho de Khadafi apresenta-se diante dum tribunal líbio em Zentan, o que demonstra que os responsáveis locais e os dirigentes ex-rebeldes da cidade, uma das primeiras cidades a se revoltar contra o antigo regime, não desejam transferí-lo para o pôr à disposição dos aparelhos oficiais do Estado em Tripoli para o julgar pelos “crimes cometidos contra os Líbios” ligados à insurreição de 17 de Fevereiro na base da destituição do antigo regime.

A Líbia e o Tribunal Penal Internacional (TPI) desejam julgar Seif al-Islam e o ex-chefe dos Serviços de Informações líbias, Abdalah el-Senoussi, extraditado em Setembro pela Mauritânia.

O TPI lançou mandados de captura contra Khadafi, que foi preso e morto em Sirtes, a sua cidade natal, a 20 de Outubro de 2011, bem como contra o seu filho, Seif al-Islam, e o ex-chefe dos Serviços de Informações, Abdalaha el-Senoussi.

O Tribunal Penal de Zentan acusou a delegação do TPI e Seif al-Islam de “atentado contra a segurança do Estado” pela tentativa de troca de documentos.

A equipa do TPI, composta por quatro pessoas, foi presa a 7 de Junho depois duma visita que ela efectuou a Seif al-Islam Kadafi, que está preso em Zentan desde Novembro passado.

Ela foi libertada no início de Julho. As autoridades líbias acusam a advogada de Seif al-Islam, a Australiana Melanda Taylor, de ter levado com ela, durante a sua visita, uma caneta com câmara e uma mensagem codificada de Mohamed Ismael, um dos mais próximos colaboradores do filho de Khadafi, igualmente sob mandado de captura lançado pela Líbia.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!