Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Salários em atraso na função pública serão pagos e haverá 13º vencimento em Moçambique

O ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, tranquilizou nesta quinta-feira (26) os funcionários públicos que nos últimos meses têm recebido os seus salários com relativo atraso, “podem acontecer mas não tem nada a ver com falta de dinheiro”, e prometeu que, apesar dos problemas da economia moçambicana, vai haver 13º vencimento.

“No nosso Orçamento felizmente temos dinheiro para pagar despesas de funcionamento, não temos problemas por aí” começou por explicar o ministro Maleiane quando questionado por jornalistas a propósito dos atrasos que muitos funcionários público têm sofrido no desembolso dos seus salários mensais.

“Nós estamos num processo de sofisticação, nalguns casos há-de haver aqueles que ainda não estão registados no cadastro do funcionário, que é a base, ou podem estar a introduzir subsídios que não estavam ainda formatados e, às vezes, acontece isso. Seguramente, os atrasos podem acontecer mas não têm nada a ver com falta de dinheiro” disse o governante que aproveitou a ocasião “para dizer que há dinheiro para salários até Dezembro e até o 13º”.

De acordo com o titular da pasta da Economia e Finanças, dos mais de 300 mil funcionários públicos ainda existem 13% que não recebem via banco e daí resultam alguns dos atrasos. “Nós queremos os bancos a funcionar connosco e aí vai ser possível fixar um dia para sabermos quando é que o funcionário público recebe” acrescentou Adriano Maleiane, que falava em Maputo à margem no início da primeira reunião nacional do SISTAFE.

O ministro esclareceu ainda que o período de pagamento dos salários aos funcionários do Estado é entre os dias 15 e 27 de cada mês, “portanto só podemos ficar alarmados se até dia 27 não tiver o salário mas até agora, segundo as indicações que tenho, não tem havido esse problema”.

Relativamente ao 13º salário para 2015, o ministro Maleiane afirmou que, embora tenha que ser feito o balanço do ano para avaliar a disponibilidade financeira, “tudo aponta que vai ser pago” até ao final do ano.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!