Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Renault será expulsa da F1 em caso reincidência em dois anos

A escuderia Renault F1 será expulsa definitivamente da Fórmula 1 se voltar a cometer uma infração grave nas próximas duas temporadas, anunciou o Conselho Mundial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) nesta segunda-feira em Paris. Além disso, o ex-diretor esportivo da escuderia francesa, o italiano Flavio Briatores, foi suspenso por toda a vida e o ex-diretor técnico Pat Symonds recebeu uma suspensão de cinco anos, ambos pelo causo de fraude no Grande Prêmio de Fórmula 1 de Cingapura-2008, informou a FIA. Ao fim dos depoimentos desta segunda-feira em Paris, o Conselho Mundial decidiu punir Briatore, que deixou a Renault no dia 16 de Setembro, com a pena mais dura.

Já a Renault, que poderia ter sido banida da Fórmula 1, saiu no lucro com uma pena de suspensão com sursis, que mantém a empresa na categoria. A escuderia não poderá cometer nenhuma falta grave no período de suspensão para não ser expulsa da categoria. Os pilotos também envolvidos no ‘Cingapuragate’, o brasileiro Nelsinho Piquet e o espanhol Fernando Alonso, não receberam penas. O Conselho Mundial da FIA ouviu nesta segunda-feira em Paris os protagonistas do escândalo do GP de Cingapura de 2008. A Renault F1 foi acusada de armação por ter ordenado ao piloto brasileiro Nelsinho Piquet que provocasse um acidente para facilitar a vitória do companheiro de equipe, o espanhol Fernando Alonso.

O caso aconteceu em 28 de setembro de 2008 em Cingapura, quando Nelsinho Piquet provocou um acidente a pedido dos dirigentes da equipe, segundo a acusação do próprio piloto. Alonso, que largou em 15º em Cingapura, entrou nos boxes no início da prova, pouco antes de Nelsinho Piquet ter batido contra um muro e provocado a entrada na pista do safety car. Alonso, aproveitando que os demais pilotos pararam nos boxes, ganhou várias posições, assumiu a liderança e venceu a prova. Como estava previsto, compareceram ao Conselho Mundial Piquet e Alonso, além do presidente da Renault F1, Bernard Rey. Briatore e Symonds, acusados de dar ordem ao brasileiro, não compareceram.

Os dois foram demitidos da Renault F1 no dia 16 de setembro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!