Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Refinaria da OILMOZ será transferida para Marracuene

O projecto de construção da refinaria na zona sul de Moçambique, uma iniciativa da OILMOZ, empresa moçambicana do ramo petrolífero, já não vai ser desenvolvido no distrito de Matutuine, província de Maputo, sul do país, mas sim em Marracuene, segundo informações avançadas no V Conselho Coordenador do Ministério da Energia, realizado esta semana em Chidenguele, província de Gaza. Refinaria da OILMOZ será transferida para Marracuene.

Inicialmente o projecto tinha sido desenhado para ser desenvolvido no distrito de Matutuíne, a sul da província de Maputo. Entretanto, durante o processo de negociação de terreno e outras condições com o Governo desta província notou-se que não seria viável avançar com o mesmo naquela parte do país. Segundo informações não oficiais (porque ainda não foram dadas a conhecer oficialmente ao Governo) indicam que já há espaço identificado em Marracuene, a cerca de 30 quilómetros da cidade de Maputo, para o efeito.

O ministro da energia, Salvador Namburete, explicou a jornalistas que “as condições que os investidores queriam em Matutuine não encontraram por causa dos projectos de construção do Porto de Dobela, desenvolvimento do eco-turismo naquela região. “ “Estes projectos mais uma refinaria, penso que o governo provincial julgou que não seria viável e, agora, o projecto vai ficar em Marracuene, mas não temos ainda uma informação oficial”.

Porém, é certo que a construção da refinaria será noutro lugar e não Matutuine. A refinaria que se pretende construir tem um potencial de produção de 350 mil barris de petróleo e já foi assinado, em 2008, o acordo de princípios com os proponentes. Neste momento, está em curso o estudo do impacto ambiental e de engenharia, prevendo-se o lançamento do projecto para finais deste ano.

Desta feita, a conclusão da construção da fábrica está prevista para 2013. São parceiros estratégicos da OILMOZ no projecto da Fundação “Joaquim Chissano”, Petromoc (Petróleos de Moçambique), o Governo moçambicano e a Price Waterhouse & Coopers, empresa sul-africana de consultoria. A se concretizar o projecto, esta será a segunda refinaria a ser construída no país. A outra, cujo projecto registou alguns avanços e agora conhece uma desaceleração devido a crise financeira internacional, estará localizada em Nacalaa Velha, na província nortenha de Nampula.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!