Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ras Tony em concerto de Natal

Ele olha para a cultura moçambicana como uma das melhores de África! Fica com uma lágrima no canto do olho quando desperta e vê que ela está politizada! “Olhando para a cultura no geral, pois, ela não é apenas a música, sinto que precisa ser trabalhada e explorada; quero com isto dizer que devemos olhar para a cultura desde as línguas que identificam o País do Rovuma ao Maputo, os ritmos tradicionais até chegarmos na sua divulgação”, diz Ras Tony, líder da banda Maputo Land que conversou com o @Verdade para fazer um pequeno balanço do ano prestes a findar e ainda anunciar o show para fechar o ano.

 

Para Ras Tony à medida em que saímos do discurso político ao encontro da realidade, nos apercebemos de que a nossa cultura ao longo dos tempos e sobretudo em 2011 não atingiu um crescimento assinalável, pois, houve muita falácia e poucas realizações.

“A cultura moçambicana atingiu um estágio, a nível internacional, impressionante, através de artistas que residem na Diáspora e não vimos nenhum esforço por parte dos que residem dentro de portas para consubstanciar esse movimento”, revela Ras Tony que acrescenta ainda que “tivemos mais uma vez a gala dos awards moçambicanos mas sinto que a mesma deixa a desejar porque não reflecte aquilo que de facto é a cultura do nosso País e o critério de votação não foi transparente no meu ponto de vista. É um projecto ambicioso mas deve estar ao nível dos que temos visto nos outros países. Temos que ser mais competitivos dentro da nossa terra para exportarmos com qualidade”.

Por outro lado, Ras Tony contou ao autor destas linhas que para ele como músico foi um ano em parte positivo porque fez vários e bons concertos em Maputo e não só, na medida em que teve oportunidade de passear a sua classe na terra que o viu nascer, Chokwé, a convite do governo daquela autarquia.

“Sinto que faltou ter brindado aos amantes do afro-reggae com o meu segundo álbum mas não foi possível porque eu e a banda sentimos que ainda deve ser mais trabalhado em um e outro aspecto mas em linhas gerais o disco já está quase pronto e será apresentado em meados de 2012”, revela este autor de “Uta vuya uta nini valelissa”.

Contudo, Ras Tony acredita no esforço abnegado das pessoas que zelam pela cultura moçambicana e sobretudo os artistas para um 2012 prósperto em termos artisticos e apela para a realização de festivais de grande envergadura para a promoção da nossa cultura.

Music on bord para o Natal

Para fechar o ano Ras Tony vai fazer um concerto na noite de sexta-feira próxima do palco do Xima, na cidade de Maputo. Este concerto que vai fazer no Xima é para fechar com chave de ouro, uma vez que será realizado nas vésperas do Natal e é com espírito natalício que sobe aquele palco para emprestar o seu talento artisto. “Podiamos até fechar o ano com um grande concerto mas não será assim, pois, este concerto não estava agendado mas pela pressão dos fãs naquelas bandas, vamos servir um afro-reggae ao estilo característico de Ras Tony”, explicou o artista.

Diferentemente das aparições que teve em 2011, Ras Tony conta com os préstimos da banda Xitende neste concerto, onde a perfomance de Mafir na viola baixo, Jorge, bateria, Vali, nos teclados, Matxote, no saxofone, Ifrahimo na percussão, Peter no trompete e Gina nos coros vão fazer vibrar ao público que ali se fizer presente. Vão fazer parte do cardápio alguns êxitos de Ras Tony como “Utavuia nini utanivalelissa”, “Summer holiday”, Raggae rock Ska”, entre outros números que fazem parte do álbum na forja.

*Colaboração

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!