Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Procuradora de Namacurra sofre assalto de madrugada

A residência da Procuradora Distrital de Namacurra, Virgulina Ana Mudengue foi assaltada, há três semanas,  a meio da noite, pelos amigos do alheio.

Eram 8 homens empunhado armas brancas, e alguns encapuçados, como forma de não serem reconhecidos.

Por volta das 2horas de madrugada, amararam o guarda da residência da Procuradora e um dos 8 homens teve a missão de ficar a guarnecer enquanto os outros 7, procuravam formas de se introduzirem no interior da casa.

Tendo conseguido estar lá dentro, foram directamente ao quarto e começaram a fazer duas suas. Pediram dinheiro e a Procuradora disse que tinha apenas 2 mil meticais, valor que levaram.

Levaram também uma mala de roupa e outros bens de valor, como computador portátil, alguns discos de música, etc. E o pior disso, violentaram fisicamente a senhora, mas os danos foram ligeiros e estão a ser sanados.

Fala-se de violação sexual, será?

Nos corredores, as más línguas dizem que a Procuradora de Namacurra não escapou a agressão sexual dos sete dos oito homens que invadiram a sua casa.

As mesmas más línguas dizem que o alvo principal era ela e, se levaram os bens era apenas uma espécie de um apagar de provas.

Fala-se também nos corredores de um suposto ajuste de contas, porque, segundo as más línguas, aquela Procuradora não brinca em serviço.

Polícia fala apenas de agressão física

O assunto é muito sensível e quase ficou escondido nas gavetas, pese embora a vítima tenha dado queixa. A Polícia da República de Moçambique na Zambézia, na pessoa da Porta-Voz, Elcidia Filipe, quando abordado pelo DZ, disse que o que consta nas ocorrências é que a vítima foi roubada e agredida fisicamente.

Elcidia diz que não confirma que tenha havido agressão sexual à Procuradora de Namacurra, por isso, na sua óptica, o que se fala por ai são apenas especulações.

A fonte disse que os ladrões foram encontrados horas antes, quando tentavam seguir viagem a cidade de Quelimane.

Todos dizem ser confessos do crime, mas a polícia não avança a informação da agressão sexual, ou seja, se os confessos também assumem terem cometido este crime. Todavia, o assunto é muito sensível e ninguém o aborda com precisão.

Procuradora fora da província

Sabe-se de uma fonte da Procuradoria Provincial que a vítima, neste caso a Procuradora de Namacurra, encontra-se ausente do posto de trabalho e também da província.

“Dizem que ela está na Beira, mas não sei se está em tratamento ou alguma procura de relaxamento” – disse uma fonte íntima da Procuradoria em Quelimane, para depois acrescentar que “a minha chefe pode ter melhores dados, já foi ela que deu aval para provavelmente a Procuradora sair daqui” – rematou.

Em Namacurra ninguém quer falar sobre este assunto. Duas pessoas disseram claramente que o assunto mexe com pessoas. O pior disso é que uma das pessoas é um agente da lei e ordem.

Refira-se que este é o primeiro caso em que um agente do ministério Público é assaltado na sua residência e agredido, pelo menos aqui na Zambézia.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!