Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Presidente do Egito mantém o primeiro-ministro e o governo prepara medidas económicas

O recém-empossado presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, manteve o primeiro-ministro no cargo, esta segunda-feira (9), salientando a continuidade do governo à medida que procura consertar a economia e superar divisões políticas depois de um longo período de tumulto e derramamento de sangue.

Em comentários divulgados pela agência estatal de notícias, o primeiro-ministro Ibrahim Mehleb, que momentos antes apresentara a renúncia do ministério, disse que o actual governo continuará em funcionamento interinamente até a formação do novo gabinete.

As consultas ainda não começaram, segundo ele, embora as autoridades tenham dito que muitos dos principais ministros, como o da Economia, não devem ser trocados.

Quando era chefe da Forças Armadas, Sisi depôs o presidente islâmico Mohamed Mursi em Julho do ano passado, depois de uma onda de protestos no país, e foi empossado no domingo numa cerimónia com poucos dirigentes de países aliados do Ocidente, preocupados com a repressão no país.

Embora Sisi tenha deixado a corporação militar em Março, o comparecimento às urnas mais baixo do que o esperado nas eleições presidenciais do mês passado não lhe deu um forte mandato para impor duras medidas que recuperam a economia do país, prejudicada por três anos de instabilidade e por regulares episódios de violência que afastaram investidores e turistas.

Manter os principais ministros nos seus cargos pode fazer com que Sisi aja rapidamente para implementar reformas. A Reuters informou na sexta-feira que os consultores ocidentais aconselhavam o governo egípcio num plano de reforma económica que poderia servir como base para retomar as conversas sobre um acordo de empréstimo com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

A principal motivação por trás do projecto de consultoria está nos Emirados Árabes Unidos, que, com a Arábia Saudita e o Kuwait, já forneceram bilhões de dólares em ajuda ao Egito desde a remoção de Mursi do poder.

Como mandatário efectivo do país desde meados do ano passado, Sisi vem ofuscando a Irmandade Muçulmana, partido de Mursi, com uma repressão dura, na qual centenas de partidários do ex-presidente foram mortos ou presos, o que polarizou o país com maior população árabe do mundo.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!