Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Polícias penalizados por ilícitos eleitorais

O Tribunal Judicial distrital de Murrupula acaba de condenar dois agentes da Polícia da República de Moçambique a uma pena convertida em multas por ter provado o seu envolvimento no crime de destruição de material de propaganda eleitoral pertecente ao Partido Renamo. A notícia foi confirmada, ontem, por António de Oliveira Maneque, chefe do departamento das Relações Públicas no Comando Provincial da corporação em Nampula. Segundo Maneque, os dois agentes tinham sido escalados para garantir segurança ao processo da campanha eleitoral numa zona de maior disputa, mas, no lugar de cumprirem com as suas obrigaçaões profissionais, optaram por descolar alguns panfletos da Renamo, alegadamente, em benefício do seu adversário directo, neste caso a Frelimo.

Outro caso relacionado com ilícitos eleitorais registou-se, semana passada, no distrito de Nacarôa, onde um membro da polícia, cujo nome a fonte se escusou a revelar, foi surpreendido a colar panfletos do partido Frelimo e do seu candidato, Armando Emílio Guebuza.

Esta situação ditou a retirada imediata do agente daquele distrito para mais averiguações, segundo decisão tomada pela respectiva comandante provincial, Arsénia Massingue. Maneque acrescentou que em quase todos os 21 distritos da província foram reportados ilícitos eleitorais, alguns menos graves que os outros.

Dos casos considerados graves, o nosso entrevistado destacou os que estiveram relacionados com agressões fisicas e destruição total ou parcial de material de de propaganda, cujos processos foram jà encaminhados aos orgãos judiciais. Apesar destes incidentes, o chefe das Relações Públicas no Comando da Polícia em Nampula considera que a campanha eleitoral está a decorrer de forma ordeira comparativamente aos períodos anteriores.

A campanha para as eleições presidenciais, legislativas e das Assembleias Provinciais termina este Domingo, mas a nossa fonte garante que a polícia continuará implacável por forma a que o processo de votação previsto para a próxima Quarta-feira decorra sem grandes sobressaltos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!