Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Pessoas de boa vontade contribuem para construção de rampa em escola privada na Beira

A menina Aisling Binda encontra-se afastada da Beira International Primary School(BIPS)há 307 dias, contando até esta Segunda-feira, 21 de Novembro. Os seus estudos foram interrompidos naquela escola de ensino privado, localizada no Macúti e maioritáriamente frequentada por crianças de pais privilegiados na cidade da Beira, devido a sua condição física que não permite ter acesso a sua nova sala de aulas no primeiro andar.

Ela sempre frequentou aquela escola e durante o tempo todo a sua turma esteve nas salas do rés-do-chão. Este ano, entretanto, por força da transferência da escola para novas instalações, a turma dela passou para o primeiro andar e a direcção da escola pouco, se não mesmo nada, fez para proteger a situação da menina, compreendendo que ela não reunia condições físicas para frequentar uma turma cujo acesso passa por subir escadas.

A direcção da escola ignorou todos os apelos feitos pelos pais da menina, incluindo da direcção provincial da Educação de Sofala e demais entidades no sentido de criarem condições que facilitassem a vida da menina. Uma das facilidades que se exigia passava simplesmente por encontrar formas de colocar a turma da menina numa sala do rés-do-chão.

Qualquer um pode perceber que a escola tomou uma posição prejudicial à menina Aisling Binda, ao colocar a sua turma numa sala do primeiro andar sabendo que ela é portadora de deficiência física. Isso gerou uma escalada onda de protestos à escola e bastante solidariedade à menina Aisling Binda.

Foi na sequência dessa bastante solidariedade, igualmente manifestada pelo “O Autarca”, que os pais da menina Aisling Binda, com o patrocínio da Procuradoria Provincial de Sofala, conseguiram mobilizar contribuição de pessoas singulares e colectivas moçambicanas e estrangeiras para construção de uma rampa que vai dar o primeiro andar do edifício da escola.

A rampa, uma estrutura cem por cento metálica, começou a ser construída no passado dia 7 de Novembro, com previsão de estar concluída no prazo de três semanas.

A sua construção, a custo zero para escola, refira-se, não só vai beneficiar a menina Aisling Binda, como as demais crianças com deficiência física que estudam ou pretendam estudar naquela escola.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!