Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
Publicidade

Pathfinder recupera perto de 86.000 pacientes com HIV-sida que haviam abandonado tratamento

Pathfinder 2

O projecto comunitário de Reforço da Adesão e Retenção de Pacientes em Terapia Antirretroviral e Triagem para a Tuberculose (RARE-HIV-TB), implementado pela Pathfinder Moçambique, reintegrou, entre Janeiro de 2019 e Dezembro de 2020, nas províncias de Gaza, Manica e Sofala, um total de 85.713 pessoas que vivem com o HIV-Sida e que tinham abandonado o Tratamento Antirretroviral (TARV).

Estima-se que, nesse período, um ano após o início do TARV, cerca de 1/4 de pessoas seropositivas, em Gaza, e 1/3 em Manica e Sofala, não prosseguiram com o tratamento, situação que levou a Pathfinder a desencadear intervenções comunitárias, através dos agentes comunitários de saúde (ACS), com vista à melhoria da adesão, retenção e cuidado relativo ao TARV.

Por via destas acções, a organização não-governamental norte-americana conseguiu, entre 2018 e 2020, evitar, também, o registo de perdas no acompanhamento aos novos beneficiários do TARV, assim como logrou sensibilizar os que tinham desistido, no sentido de retomarem o tratamento antiretroviral, cumprindo todas as recomendações clínicas.

Com efeito, dos 21.122 pacientes recém-inscritos para o TARV, entre Janeiro de 2019 e Dezembro de 2020, 19.639 foram localizados, através de visitas de apoio efectuadas ao longo de 18 meses, nas três províncias. Além disso, dos 18.020 casos seropositivos identificados para a adesão ao tratamento, 16.440 (91%) foram localizados.

O projecto localizou ainda 100.713 pacientes, dos quais 90.187 foram encaminhados às unidades sanitárias, de um universo de 135.503 infectados pelo HIV-Sida, que estavam fora do acompanhamento médico, no início do projecto.

O RARE-HIV-TB concentrou as suas acções de retenção de TARV em pacientes recém-registados ou admitidos para iniciar o TARV, dentro de 15 dias após o teste positivo para o HIV, e pacientes que abandonaram o TARV ou pararam de fazer o acompanhamento médico.

Por meio de diálogos, especialistas e técnicos do projecto ajudaram a corrigir percepções erróneas, dúvidas e tabus comuns, assim como mudar a mentalidade da comunidade e contribuir para a remobilização dos pacientes para retornar ao tratamento.

Deste modo, ao longo do projecto, 30.285 pessoas (10.722 homens [65%] e 19.563 mulheres [35%]) participaram em 1.329 diálogos comunitários, com uma média de 22 participantes por diálogo.

Das 34.535 pessoas que vivem com o HIV-Sida que o RARE não conseguiu encontrar, a maioria (38%) tinha o endereço errado na lista. Outros mudaram de residência (18%), estavam a viajar (13%), morreram (12%), mudaram-se após o ciclone Idai (7%), estavam ocupados a trabalhar (6%) ou estavam inacessíveis por outros motivos (6%). A Pathfinder continua a envidar esforços para atingir estas pessoas e não deixar ninguém para trás.

Ao final do projecto, 85.713 (63%) pacientes, que tinham perdido o acompanhamento médico, foram reintegrados na TARV na mesma proporção de sexo que os perdidos para acompanhamento e os encontrados.

Importa realçar que a adesão ao TARV tem sido baixa, no País, onde 33% dos infectados interrompem o TARV até ao 12º mês, muitas vezes por razões económicas.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!