Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Partido do presidente da Tunísia deixa governo islâmico

O patido secular do presidente da Tunísia, Moncef Marzouki, retirou seus três ministros do governo islâmico neste domingo, dizendo que as suas exigências por mudanças no gabinete não foram atendidas.

A decisão do Partido Congresso para a República, de Marzouki, desfere um novo golpe no governo do primeiro-ministro Hamadi Jebali, já debilitado após o assassinato do líder secular da oposição, Chokri Belaid, na semana passada.

“Faz uma semana que estamos a dizer que, se os ministérios das Relações Exteriores e da Justiça não fossem modificados, deixaríamos o governo”, disse Samir Ben Amor, uma autoridade do partido, à Reuters. “Esta decisão não tem nada a ver com a decisão do primeiro-ministro de formar um governo de tecnocratas”, afirmou Ben Amor, referindo-se à intenção manifesta de Jebali de nomear um gabinete não-partidário para cuidar de temas do dia-a-dia até que eleições sejam realizadas.

A morte de Belaid na quarta-feira – o primeiro assassinato político na Túnisia em décadas – lançou o governo e o país no caos, ampliando as divisões entre o dominante partido islâmico Ennahda e seus adversários de inclinação secular.

Políticos veteranos do Ennahda, assim como de seus dois parceiros de coligação não-islamistas, criticaram Jebali por propor um governo tecnocrata, dizendo não terem sido consultados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!