Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Natação passou à história em Nampula

Natação passou à história em Nampula

Desde o ano de 2010, a natação deixou de fazer parte da lista das modalidades desportivas praticadas a nível da cidade e província de Nampula. Piscinas obsoletas, ausência de infra-estruturas desportivas adequadas e inexistência de uma associação na qual os clubes possam filiar as equipas são apontadas como as principais razões por detrás da sua extinção. Apesar disso, vislumbra-se a possibilidade de se revitalizar a modalidade neste ponto do país.

A história da natação em Nampula, desde a sua introdução em 1986, resume-se da seguinte maneira: Em 2006, a cidade de Nampula ocupou o terceiro lugar do Campeonato Nacional de Natação, numa altura em que o Ferroviário de Nampula era o único clube que assegurava a modalidade nesta circunscrição. Porém, com a morte do seu treinador em 2009, a equipa viu os seus sonhos ruírem como um castelo de areia. Em 2010, aquela formação desportiva, com um novo técnico e apenas um atleta, conquistou o terceiro lugar no campeonato que teve lugar na capital moçambicana.

Desde então, nunca mais se ouviu falar de natação em Nampula, pois com o andar do tempo se registava uma fraca participação dos atletas, apesar da paixão que muitos nutriam por esta modalidade desportiva. Ou seja, aos poucos, por falta de competições a nível interno, os praticantes da modalidade começaram a abandonar as piscinas.

Clubes alegam inexistência de uma associação de natação

Além da falta de infra-estruturas apropriadas, alguns clubes da cidade de Nampula afirmam que a extinção da modalidade se deve ao facto de não existir uma associação de natação na qual as formações desportivas possam filiar as equipas. A título de exemplo, o secretário-geral do Ferroviário de Nampula, José Maússe, disse que o seu clube tem condições para desenvolver a modalidade, porém, a conjuntura actual não é favorável.

“A nível interno, temos atletas que podem formar uma equipa de natação capaz de competir ao mais alto nível, mas o facto de não existir uma associação é um grande problema para nós. Podemos criar uma equipa, mas onde será filiada e de onde virão as outras formações para competir?”, questionou, tendo acrescentando que a falta de natatórios a nível da cidade é também um dos pontos que contribui para o desaparecimento da modalidade.

Já Rita Muita, chefe do departamento de Desporto na Direcção Provincial da Juventude e Desporto em Nampula, é de opinião de que a paralisação da modalidade de natação se deve à inexistência de atletas interessados, tendo ainda sublinhado que a direcção vela apenas pelas equipas e/ou núcleos existentes e não se responsabiliza pela criação dos mesmos. “Ainda ninguém manifestou o interesse de movimentar essa modalidade; se existir alguém que pretenda fazer isso, nós vamos dar o nosso apoio”, disse.

Ferroviário pondera revitalizar a modalidade

Desde a sua introdução em 1986, o Ferroviário de Nampula foi o único clube que movimentou a modalidade a nível da cidade e província. Na altura, a formação desportiva dispunha de um projecto de criação de uma escola de natação

De acordo com Abel Lemos, treinador na escola de formação do Clube Ferroviário de Nampula, não existiam condições para o arranque dos treinos, uma vez que a piscina estava em processo de reabilitação, para além da falta de material desportivo.

Enquanto se aguardava pelo término das obras de reabilitação da piscina, pouco mais de 10 atletas, na sua maioria adolescentes de idades compreendidas entre 12 e 15 anos, haviam manifestado o interesse de integrar a equipa em formação.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!