Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Publicidade

Mulher adulta é segundo óbito da covid-19 em Moçambique, diagnosticado primeiro caso no Niassa

Mulher adulta é segundo óbito da covid-19 em Moçambique

“Com tristeza partilhamos mais um óbito devido à covid-19 na Cidade de Pemba, na Província de Cabo Delgado”, anunciou a Directora Nacional de Saúde Pública. O @Verdade apurou que, tal como o primeiro óbito, a cidadã perdeu a vida antes de se saber que estava infectada pelo novo coronavírus. Ainda esta quinta-feira (28) todas as províncias passaram a ter infectados pelo novo coronavírus com o diagnostico do primeiro doente na Província do Niassa, outros cinco pacientes foram detectados nas cidades de Maputo, Nampula e Pemba elevando para 233 o cumulativo de casos positivos em Moçambique.

Contrariando o comportamento mundial da pandemia que dilacera o mundo, que regista maioria dos óbitos em pacientes acima dos 60 anos de idade, Moçambique registou dois óbitos, primeiro num rapaz com 13 anos de idade e o segundo numa mulher com menos de 50 anos de idade.

“Com tristeza partilhamos mais um óbito devido à covid-19 na Cidade de Pemba, na Província de Cabo Delgado. Trata-se de um indivíduo que nós registamos como caso 222, que anunciamos ontem, de nacionalidade moçambicana, do sexo feminino na faixa etária dos 45 a 50 anos de idade” anunciou a Dra. Rosa Marlene em conferencia de imprensa na Cidade de Maputo.

O director-geral adjunto do Instituto Nacional de Saúde clarificou que que o óbito “estava internado na unidade sanitária, é um caso que está em investigação para se averiguar se tem alguma relação com um dos outros casos anteriores”.

“Para definição de um óbito com coronavírus são conjugados três critérios, o primeiro é epidemiológico, que é a existência do vírus em circulação, o segundo é clínico, que é a apresentação de sintomas que sejam compatíveis, e o terceiro critério é laboratorial, que é a confirmação por um teste fiável, neste caso o teste de PCR”, explicou o Dr. Eduardo Samo Gudo Júnior respondendo a uma pergunta do @Verdade sobre como foi possível saber tão rapidamente a causa do óbito.

O Dr. Samo Gudo acrescentou que “no entanto este individuo tinha patologias subjacentes, ou seja tinha outras co-morbidades. E nós sabemos que a mortalidade (pela covid-19) é maior nos indivíduos idosos acima de 60 anos de idade e indivíduos que tem uma co-morbidade, o coronovírus pode precipitar o progresso da doença e resultar em óbito”.

No entanto a informação divulgada pelo Ministério da Saúde contradiz a anunciada na quarta-feira (27) pois os casos positivos, dentre eles o desta cidadã que acabou por falecer, um estava assintomático e treze tinha sintomatologia leve a moderada tendo a Directora Nacional de Saúde Pública precisado que encontravam-se “em isolamento domiciliar”.

O @Verdade apurou que a cidadã ora falecida foi internada no dia 22 de Maio, data em que foi realizada a colheita da sua amostra. Contudo, como só existem três voos comerciais por semana entre a Cidade de Pemba e a Cidade de Maputo, a amostra só foi enviada no dia 25 e deu entrada no Instituto Nacional de Saúde, no Distrito de Marracuene, a 26 de Maio. O resultado positivo para covid-19 foi obtido no dia 27 porém a paciente já havia falecido no dia 23 de Maio de 2020.

Na situação de transmissão comunitária em que Moçambique está e devido a impossibilidade de serem realizados testes do novo coronavírus em cada uma das províncias – o Ministério da Saúde tem um plano para até Outubro instalar laboratórios nas cidades da Beira, Quelimane, Tete, Nampula e Pemba -, o @Verdade volta a sugerir o envolvimento da Força Aérea no transporte das amostras para a Cidade de Maputo, afinal existem dois jatinho executivos estacionados no Aeroporto Internacional de Mavalane.

Novas evidências de transmissão comunitária e explosão da pandemia na Cidade de Pemba

Entretanto, testados 482 casos suspeitos foram diagnosticados seis novos infectados pela covid-19, cinco de nacionalidade moçambicana e um britânico, um dos casos é assintomático e cinco com sintomatologia leve a moderada.

“Na Província de Niassa, no Distrito de Mavago, pela primeira vez temos um indivíduo do sexo feminino, na faixa etária de 35-44 anos de idade. Este caso resulta da vigilância activa”, anunciou a Dra. Rosa Marlene que não se disponibilizou a esclarecer porque razão o caso foi considerado de transmissão local, afinal a província não contava com nenhum infectado pelo novo coronavírus.

Foram ainda detectados, na vigilância activa em unidades sanitárias, um indivíduo do sexo masculino, faixa etária de 45-59 anos de idade, na Cidade de Nampula, na Província de Nampula, e um outro indivíduo do sexo masculino na mesma faixa etária na Cidade de Maputo.

Corroborando a evidência de transmissão comunitária e explosão da pandemia na Cidade de Pemba foram diagnosticados mais três infectados, todos do sexo masculino, um na faixa etária de 25-34 anos, um na faixa etária de 35–44 anos e um na faixa etária de 45 – 59 anos de idade. De acordo com o Ministério da Saúde dois destes casos positivos identificados na capital da Província de Cabo Delgado são contactos de casos positivos e um resulta da vigilância activa.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!