Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Morrer-se-à mais em Gaza em 2011

A província meridional moçambicana de Gaza deverá ter uma elevada taxa de mortalidade, em 2011, estimada em cerca de 17,4%, seguida por Cabo Delgado, com 16%, e 15,1% de taxa de mortalidade a se registar em Sofala.

 

 

A ter fé em projecções oficiais do Instituto Nacional de Estatística (INE), a capital moçambicana, Maputo, deverá ter, por sua vez, a taxa mais baixa do país estimada em 9,6%, enquanto na vizinha província do Maputo deverão morrer o correspondente a 10,6% de habitantes locais, contra 12,2% de Tete e 12,8% do Niassa.

A pesquisa não especifica as potenciais causas de fatalidade nestas regiões, mas sabe-se que Gaza é a região de Moçambique com maior número de pessoas infectadas pela SIDA.

Inversamente, Niassa terá 48,2% de taxa de natalidade, em 2011, seguida por Tete (46,3%) e Manica (46,1%), estando na cauda a cidade do Maputo com 24,6% de taxa de natalidade a se registar no próximo ano.

A projecção da idade mediana por sexo feita pelo INE indica que as mulheres terão 17,8 anos e os homens 16,4 anos, em 2011, fixando-se em 17,1 anos a projecção da idade mediana de ambos os sexos.

A esperança de vida será de 57,5 anos, em 2011, na cidade do Maputo, e de 46,7 anos na de Gaza, enquanto no concernente à projecção da mortalidade infantil, Zambézia deverá ter uma taxa de 96 por mil nados-vivos, contra 55,8 por mil nados-vivos da cidade do Maputo.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!