Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moradores organizam-se para melhorar aspecto

Os moradores do Prédio Emporium, um dos mais emblemáticos da Cidade da Beira, estão a envidar esforços no sentido de ultrapassar o actual cenário do edifício caracterizado pela progressiva degradação e imundice. O esforço em curso envolve igualmente os Serviços Provinciais de Administração do Parque Imobiliário de Estado (APIE), em Sofala.

Segundo deu a conhecer ao nosso jornal o Chefe dos Serviços Provinciais da APIE em Sofala, Afonso Jorge, os moradores do Prédio Emporium acabam de se organizar para a criação de um fundo especifico destinado a custear as despesas de reparação e manutenção do edifício.

A fonte indicou que para a materialização desse objectivo os moradores do Prédio Emporium criaram uma comissão especializada para proceder a cobrança regular de quotas, um procedimento previsto no regulamento sobre condomínios, que estabelece como dever e obrigação dos moradores a contribuição de certo valor acordado para assegurar a manutenção dos edifícios.

Afonso Jorge disse que com o fundo proveniente da quotização regular dos condomínios, eventualmente seja minimizada a acentuada situação de degradação e imundice que se regista no edifício, porquanto passará a haver suporte financeiro para intervenções no sentido de por cobro a actual situação.

O Prédio Emporium, um dos mais altos, com arquitectura ímpar e estrategicamente localizado no Centro Urbano da Cidade da Beira, antigamente funcionou no edifício o Consulado Geral de Portugal, actualmente se apresenta em avançado estado de degradação a mistura com tanta imundice. Chega a concorrer entre os espaços mais degradantes da Cidade da Beira.

Os problemas do edifício vão desde esgotos, agua, iluminação e também se associa a atitude dos próprios moradores, alguns chegam a lançar para a estrada sacos plásticos contendo dejectos. Algumas famílias acabaram abandonando os seus apartamentos por não suportarem a sujidade no edifício.

Atlatida e Cruzeiro do Sul bons exemplos

Os prédios Atlântida e Cruzeiro do Sul, também na zona baixa da Cidade da Beira, foram apontados pelo Chefe dos Serviços Provinciais de Administração do Parque Imobiliário de Estado (APIE), em Sofala, como sendo referencias na implementação da iniciativa que se pretende estender para o Prédio Emporium. Afonso Jorge disse que a criação do fundo pelos moradores dos referidos prédios tem revelado resultados bastante positivos.

O Autarca também confirmou o sobretudo o bom estado de limpeza nos dois edifícios, o que dá graça à vida. “Estamos convencidos que a iniciativa dos moradores do Prédio Emporium de abraçar este tipo de experiência vai trazer resultados positivos, permitindo no minimo reduzir o actual estado de degradação e de imundice que graça o edifício” – concluiu a nossa fonte.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!