Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Miss Tailândia renuncia depois de descobrir-se que defendeu a “execução” de ativistas

A Miss Universo Tailândia renunciou ao seu título, esta segunda-feira (9), devido aos comentários que ela fez nas medias sociais, afirmando que os activistas “Camisas Vermelhas”, simpatizantes da primeira-ministra deposta, Yingluck Shinawatra, deveriam ser executados.

O golpe militar do mês passado foi o mais recente episódio de um conflito de uma década entre os monarquistas com forte apoio em Bangcoc e os partidários de base rural de Yingluck e o seu irmão, o ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra.

Weluree Ditsayabut, de 22 anos, foi coroada Miss Tailândia no mês passado, mas os comentários que ela fez há alguns meses vieram à tona, incluindo na sua conta do Facebook sobre os Camisas Vermelhas: “Estou com tanta raiva de todos esses activistas maldosos. Eles deveriam ser todos executados.”

Emocionada, Weluree disse a jornalistas que não poderia lidar com as críticas que recebeu por meio do Twitter e do Facebook. “Senti-me sob pressão. Tentei melhorar a mim mesma, mas o que não consigo suportar é ver a minha mãe estressada”, disse Weluree.

“Decidi sacrificar o meu status como Miss Universo Tailândia.” A rainha da beleza também reagiu a comentários sobre a sua aparência. “Na verdade, eu sou gorda, seu animal!” dizia uma mensagem dela na sua conta no Twitter, que já foi excluída.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!