Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

México diz que o despejo de gás causou a explosão na Pemex

O governo mexicano disse, Segunda-feira (4), que um despejo de gás causou a explosão que matou pelo menos 37 pessoas na sede da estatal petrolífera Pemex, na Cidade do México, gerando novos questionamentos sobre o histórico de segurança da empresa.

O procurador-geral Jesús Murillo disse que não foram encontrados traços de explosivos no local da explosão. “Fomos capazes de determinar que a explosão foi causada pela acumulação de gás no porão do edifício”, disse Murillo em entrevista colectiva, acrescentando que o gás era provavelmente metano.

O recém-empossado presidente Enrique Peña Nieto pretende, como parte de uma série de medidas voltadas para o estímulo do crescimento, fazer reformas na Pemex , que tem enfrentado diversos desastres recentes.

Murillo disse que o gás pode ter-se despejado de tanques num depósito ligado por um túnel ao local da explosão. Também é possível que o gás tenha saído de um velho duto que atravessa o prédio. Outra possibilidade é de que o metano tenha emanado do solo sob o prédio, segundo o procurador.

A Cidade do México foi construída sobre um lago aterrado, e o cheiro de esgoto muitas vezes paira sobre o centro. Murillo disse que os operários que trabalhavam nas obras de reforço na sustentação do prédio precisaram de electricidade e usaram uma extensão, o que pode ter causado a fagulha que detonou a explosão do gás.

Depois da explosão da tarde da Quinta-feira no centro da Cidade do México, houve suspeitas de sabotagem, assustando os investidores – inclusive pelos temores de que a guerra contra o narcotráfico no país, que matou cerca de 70 mil pessoas nos últimos seis anos, pudesse ter entrado numa nova fase.

A Pemex é motivo de orgulho nacional desde 1938, quando o presidente nacionalista Lázaro Cárdenas expropriou empresas britânicas e norte-americanas e nacionalizou o sector petrolífero.

Mas a estatal também mostra-se resistente a mudanças, ficando conhecida por sua ineficiência e corrupção. Desde 2004, a produção mexicana de petróleo caiu de 3,4 para 2,6 bilhões de barris diários.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!