Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

MDM queixa-se de vandalização e pilhagem do seu património em alguns municípios

O Movimento Democrático de Moçambique (MDM) afirma que o seu património está a ser vandalizado e pilhado em algumas autarquias. Queixa-se igualmente da retirada propositada das suas bandeiras içadas em algumas vilas e povoações do território nacional.

Esta não a primeira vez que aquela formação política se queixa de problemas similares. Segundo o MDM, não se entende também o porquê desta situação uma vez que somente as suas bandeiras são banidas de alguns município mas as de outros partidos mantêm-se intactas.

Na manhã da última sexta-feira (08), perto de 60 membros do MDM invadiram o Comando da Polícia Municipal na Vila de Catandica, distrito de Báruè, na província central de Manina, para exigir explicações sobre uma suposta retirada das suas bandeiras daquela autarquia pela edilidade.

Entretanto, na mesma semana, um caso idêntico ocorreu no município de Gorongosa em Sofala, onde aquela formação política notou a falta de bandeiras nos locais onde habitualmente têm sido içadas.

Luís Boavida, Secretário-Geral do partido MDM, que estava de visita naquele ponto do país, contactou o município de Gorongosa para pedir explicações e recuperar as bandeiras em causa. Na autarquia foi recebido pelo secretário particular do edil local, identificado apenas por Ivo. Este confirmou que as bandeiras do MDM estavam engavetadas no município.

Insatisfeito com a informação que acabava de receber, Luís Boavida pediu um encontro imediato com o presidente do Município de Gorongosa, Moresa Joaquim, mas não foi possível alegadamente porque ele estava num seminário. Depois de tanta insistência daquele partido político, houve uma nova versão, segundo a qual o edil estava a participar num projecto do Hotel Capulana.

Houve ainda outras versões sobre o paradeiro de Moresa Joaquim, o que fez com que Boavida suspeitasse que estava a ser evitado.

De seguida, o Secretário-Geral e o chefe da mobilização do seu partido no distrito de Gorongosa foram à Polícia registar a ocorrência da vandalização e pilhagem do património do MDM. Porém, o oficial em serviço disse que em Gorongosa a corporação é proibida de intervir em assuntos que envolvam partidos políticos. Informou que a única entidade a contactar para responder pelo caso era o presidente do município.

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!