Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Marrupino retoma produção de tantalo

As minas de tântalo de Marrupino, na província da Zambézia, centro de Moçambique, retomam a produção ainda este ano, segundo garantiu, esta sexta-feira, em Maputo, o vice-Ministro dos Recursos Minerais, Abdul Razak. A mina de Marrupino foi concessionada à Highland African Mining, subsidiaria da empresa Noventa.

De acordo com Razak, esta firma enfrentou problemas sérios de gestão que afectaram o equipamento. “Neste momento a empresa está numa fase de reestruturação a todos os níveis, incluindo a gestão, e de optimização do seu equipamento”, disse.

Por outro lado, a Noventa foi afectada pela crise financeira internacional e, como resultado, a Highland African Mining paralisou as operações de produção na província central da Zambézia e reduziu a força de trabalho.

O vice-Ministro garante que esta situação está ultrapassada e a firma está preparada a retomar as actividades da mina. “A Noventa angariou capitais que vão permitir a retomada da operação de produção das minas de Marrupino. Eles nos dão garantias de que até o fim do primeiro semestre a produção vai arrancar”, referiu. O reinício da produção nas minas de tântalo de Marrupino assegura mais de 350 postos de trabalho para nacionais na sua fase de produção e, consequentemente, aumento de captação de receitas aos cofres do Estado.

A operação de exploração da Noventa consiste na extracção e processamento de concentrado de tântalo, com uma capacidade instalada de produção de 441.000 libras de tântalo por ano para exportação, tendo já sido assegurados mercados internacionais para fornecimento do produto. A Noventa tem direitos de exploração de outras minas na província da Zambézia, nomeadamente as de Mutala e Murrua, que, segundo o MIREM, a actividade retoma “numa fase posterior”.

A Noventa acredita que o futuro da produção do tântalo moçambicano é promissor. No seu relatório semestral publicado no fim de Junho de 2009, a empresa diz acreditar que “a perspectiva em médio prazo para o metal é encorajador”. A direcção da Noventa acredita que a procura mundial de tântalo vai aumentar no próximo ano devido ao crescimento da produção de pequenos componentes electrónicos depois do período de recessão.

O tântalo é um metal raro altamente corrosivo e resistente, é condutor de calor e electricidade e é utilizado nos componentes eléctricos como resistores e capacitores de alta potência, que são encontrados em telefones celulares e placas-mãe do computador. A resistência do tântalo a ácidos, incluindo no corpo humano, o torna ideal para instrumentos cirúrgicos e implantes.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!