Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Maputo tenciona banir funerais em cemitérios familiares

A realização de funerais em cemitérios familiares passará a ser proibida no Município de Maputo, a capital moçambicana, caso seja aprovada a proposta de nova Postura de Cemitérios ainda em debate público. Trata-se de uma proposta desenhada pela Vereação de Salubridade e Cemitérios e que tem como objectivo regular todos os actos funerários realizados no espaço territorial do Município de Maputo. “Agora pretendemos (caso isso seja consensual) criar uma obrigatoriedade em se realizar funerais apenas nos cemitérios municipais”, disse Lucas Gulube, directoradjunto do pelouro da Vereação e Salubridade, falando Sexta-feira última à AIM.

“A prática de enterros em cemitérios familiares é incompatível ao desenvolvimento e a sua abolição irá permitir um melhor planeamento urbano, maior higiene e vai salvaguardar o princípio de respeito de convivência nos bairros”, acrescentou ele. Segundo Gulube, actualmente, apesar desta prática não ser muito comum na cidade de Maputo, ainda ocorre em alguns bairros suburbanos. Contudo, estas atitudes são severamente criticadas por outros munícipes residentes nesses bairros que constantemente se queixam junto das autoridades municipais.

A AIM perguntou ao vereador de Salubridade e Cemitérios, Florentino Ferreira, que sanções as autoridades municipais irão aplicar aos cidadãos que atropelarem esta norma, em caso de ser aprovada. “Podem ser aplicadas multas aos prevaricadores, mas isso ainda não foi definido”, disse Ferreira, considerando que o mais importante é sensibilizar os cidadãos até mudarem de atitude quanto a essa questão. “Nós vamos sensibilizar as pessoas. Podemos dizer que se continuarmos com essas práticas, um dia vamos tornar a nossa cidade num “Cemitério”, disse a fonte.

No passado, Maputo contava com diversos cemitérios familiares, mas com o tempo o número foi reduzindo. Alguns deles foram, ao longo do tempo, colectivizados, passando também a acolher outros mortos que não fossem da mesma família, tais são os casos dos cemitérios de N´dlhavela e de Zimpeto, nos arredores da capital moçambicana.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!