Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Manifestantes revoltados com desemprego incendeiam prédios públicos na Bósnia

Manifestantes em várias partes da Bósnia atearam fogo a edifícios governamentais e entraram em confronto com a polícia antidistúrbios, esta sexta-feira (7), no terceiro dia de protestos contra o desemprego e a inércia política.

De modo geral, as manifestações, a pior agitação social no país desde o fim da Guerra da Bósnia (1992-1995), continuaram restritas à metade do país habitada pelos bósnios-croatas e muçulmanos, mas estão a ganhar intensidade. Por volta de 19h, os participantes dos protestos concentravam-se em três cidades em diferentes pontos do território, incluindo a capital, Sarajevo, mas a polícia manteve-se em acção.

Todas as lojas foram fechadas e as ruas estavam repletas de vidros e destroços. Horas antes, a polícia em Sarajevo usou balas de borracha contra milhares de manifestantes que atearam fogo à sede do governo local e a uma parte do edifício da Presidência do país. O prédio da administração local continuava em chamas à noite. “Isto é tão triste”, disse uma mulher, que deu apenas o primeiro nome, Vildana, observando o edifício governamental.

“Foram necessários quatro anos de guerra para destruí-lo e agora os vândalos queimam-no em um dia. Isto é exactamente como em 1992.” Os manifestantes também tentaram forçar a entrada na Presidência, mas foram repelidos por uma força especial que usou canhões d’água. Cerca de 145 pessoas ficaram feridas em Sarajevo, incluindo 93 policiais.

Vários milhares de pessoas na cidade de Mostar, ao sul, invadiram dois prédios governamentais e também puseram fogo na sede da prefeitura. A polícia não interveio. Na cidade de Tuzla, antes o coração industrial no norte da Bósnia, protestos contra o fechamento de fábricas se tornaram violentos.

Os manifestantes apedrejaram e incendiaram dois prédios da administração local e entraram em confronto com a polícia. Presas em meio às chamas, algumas pessoas escaparam pelas janelas, disse um fotógrafo da Reuters.

“Acho que esta é uma autêntica primavera bósnia. Não temos nada a perder. Haverá mais e mais de nós nas ruas. Há cerca de 500 mil desempregados na Bósnia”, disse Almir Arnaut, economista desempregado e ativista de Tuzla. Alguns manifestantes levaram computadores da administração municipal de Tuzla e saquearam um supermercado

Em Sarajevo, dois carros e uma cabine policial foram incendiados diante do prédio da Presidência. Um edifício governamental na cidade central de Zenica também estava em chamas e mais de 50 pessoas ficaram feridas, incluindo 23 policiais.

Os manifestantes, dos quais muitos fizeram chamados no Facebook para o protesto nas ruas, gritavam “ladrões” e “Revolução!”. Os governos cantonais de Zenica e Tuzla disseram nesta sexta-feira que seus dirigentes haviam renunciado após os protestos.

Em Banja Luka, a capital da parte sérvia da Bósnia, cerca de 300 ativistas e outras pessoas realizaram uma manifestação pacífica pela unidade dos bósnios de várias etnias.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!