Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mamparra of the week: Padre Eusébio Lino Albino

Mamparra of the week: Saqueadores do Estado moçambicano

Meninas e Meninos, Senhoras e Senhores, Avôs e Avós

O mamparra desta semana é o padre Eusébio Lino Albino, da Igreja Católica em Quelimane, na província da Zambézia, que foi surpreendido num cemitério familiar, a praticar bruxaria na companhia de um suposto curandeiro, na noite do último sábado (29), no povoado de Cazivela, no bairro Namuinho.

A neutralização do mamparra desta semana aconteceu quando alguns habitantes do povoado de Cazivela suspeitaram da movimentação de gente estranha no cemitério em alusão, num período impróprio para visitar as campas de ente queridos.

De acordo com os relatos oriundos da Zambézia, o padre terá sugerido a um enfermo que o tratamento adequado à enfermidade que o apoquenta(va) só podia ser feito num cemitério e no período da noite. Lâminas, galinhas mortas e o seu respectivo sangue eram parte dos “ingredientes” para a “salvação”.

O padre esqueceu-se (será?) dos deveres que nortearam os seus anos no missionário? Ou há muito que já trilhava por essa via para encontrar a cura para os seus enfermos? Sabe-se, nas comunidades paroquiais, que cabe ao padre orientar o povo. A função do padre é ouvir, reunir e orientar as famílias, atender os doentes, administrar os sacramentos, transmitir a Palavra (para maior glória de Deus e formação do homem cristão).

As três grandes missões do padre são: Pregar a Palavra; Celebrar os sacramentos e Governar o povo de Deus. O povo encarrega-se da Palavra de Deus. O sacerdote tem o dever de ensinar o Evangelho ao povo, convidando-o à conversão e à santidade.

O padre administra os sacramentos, em especial a Eucaristia, que é o alimento espiritual do cristão. Pelo Baptismo, introduz o homem no rebanho que forma o povo de Deus; pela Penitência (Confissão dos Pecados), reconcilia o pecador com Deus; pela Unção dos Enfermos, procura levar alívio e consolo aos doentes; pela celebração da missa, oferece, de modo sacramental, o sacrifício de Cristo; pelo Matrimónio, confere a união dos esposos em um lar cristão; pela Confirmação (Crisma), confirma o Baptismo.

O padre distribui a Palavra e a Eucaristia, que é o Corpo e o Sangue de Cristo que fortifica o homem no amor e na paz: alimenta-o espiritualmente e pelo seu exemplo leva-nos a tornar-nos mais fraternos e mais irmãos. Tudo atrás descrito foi, pura e simplesmente, deitado no caixote de lixo pelo padre Mamparra.

A interpretação da população sobre o episódio é de que Eusébio Albino pretendia recorrer à magia negra para se tornar rico. O padre, que era director Espiritual do Seminário Santo Agostinho e Capelão da Universidade Católica de Moçambique, já está suspenso.

Alguém tem que pôr um travão neste tipo de mamparrices.

Mamparras, mamparras, mamparras.

Até para a semana, juizinho e bom fim-de-semana!

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!