Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mais um ex-ministro moçambicano nas teias do crime

O ex-ministro dos Transportes e Comunicações, Paulo Zucula, é acusado de ter gasto pelo menos 2.250.202 meticais em pagamento de remunerações indevidas. É o segundo governante a ser indiciado de uso imerecido do erário, depois António Munguambe. Este foi condenado em 2010, a quatro anos de prisão por práticas similares, recebimento de uma viatura luxuosa e concessão de benesses a seus parentes.

No seu mandato, Paulo Zucula consentiu pagamento de remunerações a membros do Conselho de Administração do Instituto de Aviação Civil de Moçambique (IACM). Os factos, segundo o Gabinete Central de Combate à Corrupção (GCCC), foram cometidos em 2009.

O esquema envolve ainda Teresa Jeremias, ex-administradora do IACM, Amélia Abílio Levi Delane e Lucrécia Celeste Merícia Ndeve, ex-chefe de departamento financeiro e ex-directora geral da mesma entidade, respectivamente.

Este trio remunerava-se de adiantadamente e nunca chegou a devolver os valores aos cofres da instituição a que estavam afectos. Teresa Jeremias, por exemplo, aceitou ainda pagamentos impróprios de passagens aéreas a favor de seus familiares e mesmo sabendo que não tinha tal direito se manteve calada.

A acusação dos quatros visados já foi remetida ao Tribunal Judicial do Distrito de Ka Lhamankulu.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!