Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mais de 30 porcento de salas de aulas em Moçambique são inseguras

Em Moçambique existem 59.880 salas de aulas, das quais 34 porcento são inseguras, ou seja, estão propensas à destruição por catástrofes naturais tais como sismos, cheias e ciclones. Anualmente, estes dois últimos factores destroem entre 200 e 1.000 salas de aulas, segundo o Ministério da Educação (MINED).

Para inverter este cenário, o MINED está a estudar formas de erguer estabelecimentos de ensino seguros. Eugénio Maposse, director nacional adjunto de construção e equipamentos escolares, disse que o país necessita de 30 mil a 40 mil salas de aulas. No ano passado, 73 porcento de escolas estavam expostas a secas; 72 porcento a sismos; 39 porcento a cheias e 69 porcento de salas de aula estão expostas ciclones, em todo o país.

Sem indicar as zonas do país em que tais acções foram realizadas, Eugénio Maposse indicou que entre 2006 e 2013 foram construídas 7.000 salas de aula para o ensino primário e secundário; mais de 800 casas de professores e 5.500 latrinas melhoradas.

Neste momento, estão em construção 1.200 salas de aula, cujas obras serão concluídas até ao fim do ano em curso. Este dados foram avançados esta segunda-feira (23), na capital moçambicana, no 3º seminário de avaliação e validação dos resultados do projecto escolas seguras, lançado 2012.

Trata-se de um programa desenvolvido pelo MINED, pela UN-Habitat, pela Universidade Eduardo Mondlane (UEM) e pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INAM). Prevê-se a elaboração do regulamento que determine as medidas técnicas a serem seguidas para a construção das propaladas escolas seguras.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!