Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Lunar Rover, o automóvel espacial

O automóvel teve o seu papel na exploração da Lua e, ainda hoje, está abandonado “lá em cima” o veículo que a NASA baptizou de Lunar Rover (vagabundo lunar) e os americanos apelidaram de “Beach Buggy de seis milhões de dólares”

Às 2h 56m 15s (TMG) do dia 21 de Julho de 1969, Neil Armstrong, o comandante da Apolo 11, foi o primeiro homem a pisar o solo lunar. Foi o ponto de partida para a investigação do satélite da Terra. Outras missões se seguiram e com elas foi dilatado o tempo de permanência dos astronautas no planeta. Com mais tempo ao seu dispor, os astronautas podiam efectuar explorações mais longas, afastando-se do local da alunagem. Por isso, a NASA (National Aeronautics and Space Administration) projectou e desenvolveu o primeiro automóvel lunar. Nasceu, assim, o Lunar Rover que foi utilizado pelas três derradeiras missões Apolo: 15, 16 e 17, a última que levou o homem à superfície da Lua. O primeiro automóvel que o homem utilizou fora do planeta Terra, contava com tracção às quatro rodas. Tinha uma autonomia de 92 km, assegurada por duas baterias de zinco e prata com 36 volts. Na Terra, pesava 209 kg, mas, devido à diferença da força da gravidade, este peso na superfície lunar era de apenas 35 kg. Permitia deslocar dois astronautas a uma velocidade máxima anunciada de 14 km/h. Contudo, segundo é referido pelo Guiness Book of Records, esta velocidade chegou a ser ultrapassada, numa descida onde o Lunar Rover terá chegado aos 18 km/h, sendo-lhe creditado ainda o recorde da distância percorrida na Lua: 33,8 km.

Um problema

Durante as três missões Apolo em que foi utilizado, o Rover não apresentou o mínimo problema técnico, embora tenha criado algum embaraço à tripulação da Apolo 17. Durante essa missão, o guarda-lamas traseiro do lado esquerdo partiu-se, permitindo que o pneu, protegido por uma malha em aço, projectasse uma nuvem de poeira que envolveu os astronautas.

Como a superfície lunar é coberta por uma camada de poeira muito fina, esta veio a impedir a visão dos astronautas que ou teriam de regressar a pé ao módulo lunar, ou solucionar o problema. Valeu nessa altura o expediente de Harrison Smith, que conseguiu colar os seus mapas lunares à parte restante do guarda-lamas, resolvendo o problema.

Harrison Smith e Eugene Cernan, os austronautas da Apolo 17 que bateram o recorde de permanência na Lua – 74h 54m -, não ganharam para o susto, mas a “bricolage” de Harrison Smith permitiu que o Lunar Rover tenha ajudado a transportar os 114,8 kg de rochas e terra lunar que a missão recolheu durante a (até aqui) última passagem do homem pelo satélite da Terra.

O Lunar Rover foi abandonado na superfície lunar, mas, para o recordar, Harrison Smith trouxe de volta à Terra a metade do guarda-lamas partido, fragmento que se encontra no Museu da Nasa.

 

Lunar Rover

Peso – 209 kg na Terra, 35 kg na Lua

Comprimento – 310 cm

Largura ao centro da roda – 183 cm

Largura ao nível do solo – 230 cm

Altura ao solo – 35,5 cm

Raio de viragem – 305 cm

Velocidade máxima – 14 km/h

Alimentação – 2 baterias de zinco e prata

Autonomia – 92 km

Tracção – Às quatro rodas

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!