Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Lula se despedirá de Davos com homenagem

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva faz este ano sua última visita como chefe de Estado ao Fórum Económico Mundial (WEF) de Davos, onde uma homenagem da elite mundial o aguarda. A homenagem vem de um grupo que celebra o êxito de seu governo, mas que antes o olhava com desconfiança e suspeita por seu passado sindical quando chegou ao poder em 2003.

Lula receberá na próxima sexta-feira um prémio especial ao “chefe de estado global” criado pelo Fórum para sua 40ª edição que começa quarta-feira na estação de esqui exclusiva do leste da Suiça. “Para marcar o quadragésimo aniversário, o Fórum Económico Mundial entregará um prémio especial para o chefe de estado global em Davos. O prêmio honrará o líder político que utilizou seu mandato para ajudar no desenvolvimento mundial”, assinalou o Fórum ao ser consultado sobre o tema pela AFP.

“O ex-secretário geral da ONU Kofi Annan entregará esse prémio, em nome do conselho director do Fórum Económico Mundial, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 29 de Janeiro”, acrescentou. Ao falar sobre a escolha do presidente brasileiro, o professor Klaus Schwab, fundador do Fórum, falou que Lula “demonstrou um verdadeiro compromisso com todos os sectores da sociedade”.

“Este compromisso foi feito com um crescimento económico integrador e justiça social. Lula é um modelo de chefe de estado global”, disse Schwab. No governo de Lula, o Brasil registrou altos níveis de crescimento na década passada e foi um dos países que resistiu com mais facilidade à crise económica, ao ser uma das últimas nações a ser afectada pelas suas consequências e uma das primeiras a sair dela. Em 2010 sua força voltará a cair, já que enquanto as economias da América Latina crescerão em média 3,4% – em comparação com uma queda de 2,1% em 2009 – a brasileira crescerá 4,5% -, entre 5 e 6% segundo Brasília.

A este crescimento económico, Lula pode acrescentar o posicionamento a nível internacional que desenvolveu para o país, permitindo que ele assumisse um papel importante no G20 ou em negociações como a Rodada de Doha na Organização Mundial do Comércio (OMC) e a das mudanças climáticas.

A 40ª edição do Fórum de Davos terá como grandes objetivos a reconstrução do Haiti, a reforma do sector financeiro e a crise social decorrente da recessão. Além de Lula, a América Latina estará representada pelos presidentes mexicano, Felipe Calderón, e colombiano, Alvaro Uribe. O presidente espanhol José Luis Rodriguez Zapatero, cujo país exerce actualmente a presidência rotativa da União Europeia (UE), também é aguardado em Davos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!